quinta-feira 23 de maio de 2024

O PAPA FRANCISCO E O SÍNODO DA AMAZÔNIA

10 de julho de 2020 8:46 por Redação

Entre os dias 6 e 27 de outubro do ano passado, celebrou-se, no Vaticano, o Sínodo dos Bispos, convocado pelo Papa Francisco, para refletir e deliberar sobre o tema “Amazônia: Novos caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral”. Cerca de 300 personalidades – entre as quais 110 bispos latino-americanos, da Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela –  participaram do Sínodo .

Etimologicamente, a palavra Sínodo significa “fazer o caminho juntos”. Instituído em 1976, pelo Papa Paulo VI, o Sínodo constitui um momento de reflexão conjunta das Igrejas locais e regionais sobre sua prática pastoral, identificando/analisando os problemas e desafios a fim de, juntas, buscarem novos caminhos para a vivência e atualização do Evangelho.

Os olhos do mundo inteiro se voltaram para o Sínodo Panamazônico, pela importância da Amazônia, região extremamente sensível e significante para o equilíbrio ecológico planetário e, hoje, sumamente ameaçada (queimadas, devastação por grileiros, madeireiros, mineradores e grandes latifundiários).

O Papa Francisco revelou-se inovador e muito corajoso ao enfrentar  aqueles que, na Europa e nos Estados Unidos, o acusam de heresia.  São os mesmos que vivem como reféns do paradigma europeu, esquecendo-se que o cristianismo atual nasceu do afunilamento de culturas: grega, romana e germânica.

Por que não permitir que, hoje, nossos povos façam o mesmo? A verdade é que, por trás das acusações ao Papa se esconde uma questão de poder. Os que o acusam  não aceitam a emergência de outro tipo de Igreja, igrejas mais vitais e mais numerosas, com suas teologias e liturgias. Finalmente, é importante recordar que a maioria dos católicos está nas Américas, com 62% do total, enquanto os europeus correspondem somente a 25% de todos os católicos, no mundo.

Acreditamos que, com o Sínodo Panamazônico, está se gestando um novo modelo de Igreja, com outro rosto, como nos falava a Conferência Episcopal de Puebla (1979): “Feições de indígenas e, com frequência, também de afro-americanos, que, vivendo segregados e em situações desumanas, podem ser considerados como os mais pobres entre os pobres” (Doc de Puebla 34).

O Papa Francisco representa esse tipo novo de Igreja, com outra visão do exercício do poder sagrado, simples, evangélico, sem se deixar dominar por  doutrinas e dogmas, mas, sim, pelo encontro vivo com Jesus, seguindo seu exemplo, conforme Ele mesmo falou, ao explicar para que veio: “Vim para vos ensinar a viver o amor incondicional, a solidariedade, a compaixão, a abertura total ao Deus Abbá” (Deus-Paizinho).

*É padre e doutor em ciências da religião

(Este artigo faz parte de uma serie de reflexões a respeito do Papa Francisco e o Sínodo da Amazônia)

 

Todas as postagens são de inteira responsabilidade do blogueiro.

Mais lidas

CPI da Braskem tem 35 dias para concluir investigação, que inclui visita aos bairros destruídos

10 de julho de 2020 8:46 por Redação Com o objetivo de investigar a

Sem declarar IR cidadão não pode sequer receber prêmio de loteria que, acumulada, hoje sorteia

10 de julho de 2020 8:46 por Redação O prazo para entrega da Declaração

Risco de morte após a febre chikungunya continua por até 84 dias, diz Fiocruz

10 de julho de 2020 8:46 por Redação Em meio à epidemia de dengue e

Saúde volta a alertar alagoanos sobre medidas de prevenção contra a dengue

10 de julho de 2020 8:46 por Redação A Secretaria de Estado de Alagoas

PF indicia filho de Bolsonaro por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro

10 de julho de 2020 8:46 por Redação A Polícia Federal em Brasília indiciou

FAEC anuncia calendário anual de eventos esportivos para o público escolar

10 de julho de 2020 8:46 por Redação A Federação Alagoana de Esportes Colegiais

Bar do Doquinha: o lar enluarado da boemia

10 de julho de 2020 8:46 por Redação Por Stanley de Carvalho* Há 60

Seduc anuncia processo seletivo para a Educação Especial

10 de julho de 2020 8:46 por Redação A Secretaria de Estado da Educação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *