quarta-feira 7 de dezembro de 2022

PF apreende R$ 800 mil no escritório do filho do ministro Humberto Martins, do STJ

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação

Alagoanos Humberto e Eduardo Martins

Chega a R$ 800 mil o valor apreendido pela Polícia Federal, na manhã desta quarta-feira, 9, no escritório do advogado Eduardo Felipe Martins, filho do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins. O escritório, que fica no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, foi um dos endereços alvo da Operação E$quema S, montada para desarticular estrutura irregular de pagamento a escritórios de advocacia que atuavam em conluio com o ex-gestor da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio/RJ), Orlando Diniz. As investigações apontam o desvio de recursos do Sesc e Senac.

Segundo apuração do portal de notícia R7 Planalto, foram apreendidos R$ 100 mil em espécie e um cheque de R$ 700 mil. O valor em dinheiro é composto por cédulas de R$ 50 e R$ 100, e estavam em uma sacola de papel, modo normalmente utilizado para pagamentos ocultos em locais públicos.

O advogado Eduardo Martins disse que os R$ 100 mil seriam honorários pagos em dinheiro.

Segundo a denúncia, o advogado alagoano teria sido contratado para “tentar influir em atos da corte”. De acordo com o documento, ele teria recebido R$ 5,5 milhões a pretexto de influir em atos praticados por ministros do Superior Tribunal de Justiça, o que caracteriza “exploração de prestígio, art. 357, caput, do Código Penal – Conjunto de fatos 23”. O Ministério Público Federal, autor da denúncia, afirma que a Fecomércio se tornou o melhor cliente do escritório de Martins.

Aproximadamente 170 policiais federais, divididos em 44 equipes, deram cumprimento a 51 mandados de busca e apreensão, em seis estados (RJ, SP, DF, AL, CE e PE). Os mandados judiciais foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

O que dizem os acusados

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico de influência, exploração de prestígio, peculato, estelionato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
Procurado, Eduardo Martins não atendeu aos contatos da Record TV. O STJ também foi questionado e informou que irá enviar posicionamento em breve.

Mais lidas

Redes bolsonaristas usam Lula, PT e religião na convocação para o 7 de setembro

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação Por Bruno Fonseca, da Agência

Equatorial deve reposicionar postes para permitir construção de rodovia

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação A juíza Marcli Guimarães, da

Linha que atende a Avenida Rota do Mar receberá reforço nos dias úteis

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação A Superintendência Municipal de Transportes

O que defendem os deputados federais de Alagoas

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação A bancada de Alagoas na

Paulo Dantas não empolga aliados e sua escolha para governador-tampão dá sinais de esvaziamento

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação A indicação do nome do

Antes de greve geral, policiais civis fazem manifestação cobrando reajuste salarial

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação Em luta para conseguir que

Internações por Covid aumentam e governador Renan Filho apela por cuidados

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação Mesmo considerado menos letal, o

Contratações de pessoas no Ensino Superior crescem 51% em Alagoas

9 de setembro de 2020 6:16 por Da Redação Por Lucas Thaynan, da Agência

1 Comentário

  • é uma vergonha esse país. É com base em tais noticiários como esse acima, que se percebe o porque de só alguns recursos especiais subirem ao “Tribunal da Cidadania”. Só com muita influência $$$$$$$ para a justiça realmente ser efetivada. Sistema Podre e nojento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *