Erro da BRK em teste de sistema de automação provoca vazamento de esgoto em direção à praia

Na próxima quinta-feira (1º), a empresa assume, definitivamente, a operação do sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto de Maceió e região metropolitana

1
Por Marcos Berillo

Equipamentos ficaram submersos no esgoto | Cortesia

A bacia coletora de esgoto da Pajuçara entrou em colapso e ficou, da tarde até a noite desse domingo (27), com esgoto escorrendo em direção à praia pelas galerias pluviais. Segundo funcionários da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) ouvidos pelo 082 Notícias sob a condição de anonimato, o incidente ocorreu por um erro da BRK Ambiental, empresa que venceu o leilão da concessão de abastecimento de água e tratamento de esgoto de Maceió e região metropolitana. Na próxima quinta-feira (1º), a empresa assume, definitivamente, a operação do sistema.

Segundo os técnicos, a ocorrência se deve à política de redução da participação de funcionários na operação do complexo. Durante teste da automação das grandes elevatórias do sistema coletor de esgoto de Maceió, como o Emissário Submarino, Estação Lions e Estação Treze de Maio, os equipamentos das elevatórias ficaram submersos no esgoto.

Com as máquinas incapacitadas de operar, a sujeira transbordou para as ruas e galerias de águas pluviais indo em direção à praia. Não houve um ajuste de tempo de partida das bombas nos momentos corretos.

Veja o estrago, que chegou até galerias no Centro de Maceió, na manhã de hoje (28):

De acordo com os funcionários da Casal, mesmo com a BRK tendo controlado o problema, vai demorar um tempo considerável para rebobinar os motores. Como a empresa não informou a extensão do problema, eles acreditam que grande quantidade de esgoto ainda continuará sendo jogada na praia.

“O que está na base do problema é que a empresa BRK, ao querer automatizar o sistema, tem dispensado a permanência de técnicos experientes que o operam. Faz parte da política a redução da participação de funcionários operando o sistema”, disse o técnico.

Empresa assume sistema por 35 anos

O leilão da concessão de serviços ocorreu no dia 30 de setembro do ano passado, na Bolsa de Valores (B3), em São Paulo. Pelo contrato, a Casal ficará responsável pela captação e tratamento da água, que será repassada para a BRK Ambiental distribuir aos clientes durantes 35 anos.

“A partir desta quinta-feira, 1º de julho, um rio de transformações será inspiração para desaguarmos em uma nova era de desenvolvimento e respeito ao meio ambiente. Porque Alagoas merece. E porque é certo”, diz a empresa, por meio de nota.

Casal culpa chuva e ligações clandestinas pela poluição

Ao 082 Notícias, a Casal culpou o excesso de chuvas e as galerias pluviais clandestinas pelo agravamento do problema. Leia, na íntegra:

A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) informa que as estações elevatórias dessa região estão sendo operadas, há seis meses, de forma compartilhada com a BRK Ambiental, nova concessionária de serviços em Maceió, que assume definitivamente a operação em 1º de julho próximo. A nova empresa está fazendo intervenções com o objetivo de modernizar as unidades. Nas últimas 24 horas, a operação foi prejudicada pelo excesso de chuva, que chegou à rede coletora e às elevatórias por meio de ligações clandestinas de águas pluviais, porém, a situação já foi normalizada e os equipamentos operam normalmente.

Banner

1 comentário

  1. Nossa que mistura foi essa , que absurdo veicular uma baita mentira , só mostra o nível baixo dessa página , denegrir a imagem de uma empresa da forma mais desordeira , que horrível , vergonha alheia.

Deixe uma resposta