Programa que dá assistência e subsídios a agricultores familiares é prorrogado

Quase duas mil famílias do Semiárido alagoano já foram beneficiadas com R$ 2,4 milhões

0
Por Da Redação

Projeto Dom Hélder Câmara beneficia famílias no Semiárido alagoano | Assessoria

O Projeto Dom Helder Câmara (PDHC), que beneficia 1.974 famílias em 21 municípios do Semiárido alagoano, foi prorrogado até o próximo dia 31 de dezembro. De acordo com o Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater), o investimento na ação já chega a R$ 2,4 milhões.

Por meio do programa, as famílias recebem os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural. Além disso, mil delas recebem fomento no valor de R$ 2.400. As famílias são selecionadas nas políticas públicas por meio da identificação e do assessoramento às que estão em situação de extrema pobreza e vulnerabilidade, com renda per capita de até R$ 89.

O projeto tem como objetivo promover a inclusão produtiva e social dos agricultores familiares, contribuindo para o enfrentamento das condições de pobreza na região com a melhoria da qualidade de vida, por meio da oferta de serviços de assistência técnica e extensão rural para agricultores familiares.

Há dois anos, a agricultora familiar Ana Lúcia, moradora do Sítio Batuque, no município de Água Branca, família recebe o benefício do programa no valor de R$ 2,4 mil. “Receber esse fomento é maravilhoso, com ele nós construímos um fogão agroecológico, começamos a produzir beiju para vendermos nas feiras, o que possibilita o aumento do nosso rendimento familiar”, relatou.

Para a produtora Marta de Duda, que mora na Serra do Cavalo, também em Água Branca, o programa trouxe melhoria de vida. “Nós tivemos um desenvolvimento maior na quantidade e na qualidade das nossas colheitas. Sou muito grata à Emater por trazer esse projeto até nosso município, gerando renda e dando condições dignas às famílias da região”.

O PDHC é resultado de uma parceria entre a Emater, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Ministério da Cidadania, o Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola (Fida) e a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater).

Banner

Deixe uma resposta