Confira detalhes sobre a 54ª edição do Festival de Brasília

0
Por Vanderlei Tenorio

A organização da 54 ª edição do Festival de Brasília anunciou as datas de realização da edição de 2021, que ocorrerá entre os dias 7 e 14 de dezembro. O site Papo de Cinema frisa que enquanto grandes festivais nacionais já cogitam sessões presenciais, ou pelo menos um formato híbrido (caso da Mostra de São Paulo e do Cine Ceará), o Festival de Brasília adotará uma postura mais precavida, irá manter as exibições de forma virtual, ato adotado na edição de 2020, edição realizada no auge da pandemia. Nisso, debates, seminários e workshops também estão confirmados de modo online.

Divulgação

As inscrições para longas e curtas-metragens foram encerradas no dia 4 de outubro. Os filmes aceitos são produções finalizadas a partir de 2019, dispensando a exigência de ineditismo (embora obras inéditas sejam privilegiadas). A curadoria ficará responsável por selecionar seis longas-metragens e doze curtas-metragens para a mostra competitiva, além de quatro longas-metragens e oito curtas-metragens para a Mostra Brasília.

A organização destaca que todas as obras selecionadas serão contempladas com cachês, num total de R$ 400 mil distribuídos para as 30 produções escolhidas por comissões de seleção de notório saber.

Os valores serão distribuídos da seguinte forma: R$ 30 mil (longas da Mostra Competitiva Nacional), R$ 10 mil (curtas da Mostra Competitiva Nacional), R$ 15 mil (longas da Mostra Brasília de Cinema Candango) e R$ 5 mil (curtas para Mostra Brasília).

Este ano, a curadoria do festival será composta pelo cineasta Silvio Tendler e pela professora e pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB) Tânia Montoro. Ambos estiveram presentes na edição de 2020, quando o Festival de Brasília teve público de 620 mil espectadores na Mostra Competitiva de Longa-Metragem no Canal Brasil, Silvio Tendler como diretor artístico e curador, e Tânia Montoro como jurada da Mostra de Longas.

Banner

Troféu Candango, do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Andre Borges/Agência Brasília

O crítico de cinema Bruno Carmelo, do Papo de Cinema, recorda que, em 2020, o grande vencedor da mostra competitiva foi o documentário Por Onde Anda Makunaíma?” (2020), de Rodrigo Séllos, enquanto o prêmio de melhor curta-metragem foi para República” (2020), de Grace Passô. Já os votos do público recompensaram o longa-metragem Longe do Paraíso” (2019), de Orlando Senna, e o curta-metragem Noite de Seresta” (2020), de Muniz Filho e Sávio Fernandes.

O FBCB é uma realização da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec) em parceria com a organização da sociedade civil Amigos do Futuro.

 

 

 

 

Deixe uma resposta