Está tudo dominado: banqueiros mandam no Brasil

Democracia não corre perigo apenas com as ameaças do presidente Bolsonaro, mas com a interferência despudorada dos banqueiros e dos grandes investidores nacionais e internacionais

0
Por Da Redação

André Esteves: influência sem limites | REUTERS/Tuane Fernandes

O Brasil vem sendo dominado pelos banqueiros e essa afirmação não é uma mera “narrativa” da esquerda. Em áudio vazado, o banqueiro André Santos Esteves, do BTG Pactual, deu as melhores e mais precisas informações de como o Estado brasileiro foi capturado pelo sistema financeiro.

Para saber o significado do BTG Pactual, apenas no segundo trimestre de 2021, o lucro líquido ajustado foi de R$ 1,719 bilhão, representando um crescimento de 74% em relação ao resultado do mesmo período do ano passado, que foi de R$ 987 milhões.

A Wikipédia define o banqueiro André Esteves como “um empresário brasileiro, filantropo, sênior partner do BTG Pactual e membro do Conselho da Conservação Internacional”. No ranking “Bilionários do Mundo”, da revista Forbes, Esteves ocupa a 638ª posição em junho de 2021 com oito bilhões de dólares”.

Esse filantropo descrito pela Wikipédia é um voraz banqueiro que ostenta diante de uma plateia de investidores que mantêm relações intimas com autoridades do Estado brasileiro, deixando evidente que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, quem ele trata pelo primeiro nome, lhe faz consultas regulares sobre taxa de juros.

Quem manda de fato no Brasil não são políticos ou planos de governo, mas os grandes bancos, não é exagero fazer essa afirmação. Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, telefonou para o banqueiro André Esteves para saber o que fazer quando a equipe econômica do ministro Paulo Guedes renunciou aos cargos de relevância no Ministério da Economia.

Arthur Lira: ligação para banqueiro após demissões no Ministério da Economia| Divulgação

O ex-ministro e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Azevedo Jobim, também foi ministro da Justiça, da Defesa e um dos relatores da Constituição Federal foi escolhido presidente do Conselho de Administração do BTG Pactual.  Mas, desde 2016, Jobim é sócio do BTG Pactual.

Os tentáculos do sistema financeiro vão penetrando nas principais e decisivas áreas do Estado brasileiro. Essa demonstração de inteira subserviência do presidente da Câmara dos Deputados ao banqueiro é uma prova disso.

O áudio é autoexplicativo em relação à impunidade em relação à cobrança de dívidas dos bancos pelo governo federal.

O dono do Brasil

O blog Brasil247 divulgou um áudio onde o banqueiro André Esteves (BTG Pactual) confirma que o Brasil tem dono, e quem manda, de fato, na economia e rumos políticos, são os bancos. Essa realidade é comparável à letra da música “Tá tudo dominado”: Tá tudo dominado/(Eu quero ouvir geral!)/Tá dominado/Tá tudo dominado/(Eu quero ouvir vocês!)/Tá dominado/Tá tudo dominado…

A Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) atualizou e divulgou a lista de devedores da União, Estados e Municípios, onde consta que o Banco Itaú é o responsável por arrebentar com a segurança jurídica para aplicar um calote bilionário em processo que transitou em julgado, aparece com débitos milionários a estados e municípios, além da União. O banco deve ainda R$ 4,5 bilhões apenas à cidade de São Paulo.

As relações do banqueiro com os políticos significa maiores facilidades para realizar negócios e ampliar ainda mais o domínio do Estado brasileiro. A democracia não corre perigo apenas com as ameaças do presidente Bolsonaro, mas com a interferência despudorada dos banqueiros e dos grandes investidores nacionais e internacionais.

A redução da relevância do papel do Estado é o mundo ideal para os banqueiros que terão toda a autonomia para agir vorazmente, com ganância e sem qualquer preocupação com a população brasileira. E, por óbvio, contam com a colaboração da grande mídia na formulação do discurso de que o Estado é um paquiderme, pesado e ineficiente.

Deixe uma resposta