Crescimento dos casos de síndromes gripais superlota UPAs em Maceió

Capacidade de atendimento das unidades é de até 350 pessoas por dia e cerca de 10.500 por mês

0
Por Da Redação

Uso de máscara ajuda a reduzir contaminação | Agência Alagoas

Os casos de pacientes com sintomas de síndromes gripais continuam crescendo em Alagoas e já causam superlotação nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), do dia 31 de dezembro até o dia 3 de janeiro, a UPA do Benedito Bentes registrou a entrada de 1.345 pessoas, sendo 648 de pacientes com síndromes gripais.

Já na UPA Jacintinho, do dia 31 de dezembro até o dia 2 deste mês, foram atendidas 968 pessoas no geral e 430 com sintomas de gripe. No mesmo período, a UPA Cidade Universitária atendeu 806 pacientes no geral, sendo 287 com síndromes gripais. Na UPA Tabuleiro do Martins foi registrada a entrada de 1.332 pessoas no geral e 652 com sintomas de gripe. E a UPA Jaraguá atendeu 690 pacientes, destes, 377 com síndromes gripais.

A capacidade de atendimento das unidades é de até 350 pessoas por dia e cerca de 10.500 por mês.

Cuidados

Os principais cuidados para evitar a infecção é tomar extrema precaução com pessoas doentes, evitar aglomerações e ambientes fechados, lavar as mãos com água e sabão e continuar usando máscaras, já utilizadas para a prevenção contra a Covid-19, além de guardar o devido isolamento domiciliar.

Crianças, gestantes, puérperas, idosos, portadores de comorbidades, entre outros definidos como prioritários para a vacinação contra a Influenza e que não se vacinaram, devem buscar junto às Unidades Básicas de Sáude (UBS) do município de residência, a vacinação. Além disso, toda a população com idades a partir de 12 anos deve buscar se vacinar contra a Covid-19.

Também se deve cobrir o nariz e a boca com lenço, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo após uso; lavar as mãos com água e sabão após tossir ou espirrar; no caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool a 70% (gel ou líquido); evitar tocar olhos, nariz ou boca; utilizar máscara em todos os ambientes; evitar ambientes fechados e com aglomeração

Papel das unidades sentinelas

As unidades definidas como sentinelas para vírus respiratórios em Alagoas servem como fonte de informação para possibilitar a vigilância dos vírus respiratórios que estão circulando no Estado, por meio da identificação desses vírus.

Com o aumento dos casos de síndromes gripais em Alagoas, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), junto com a Secretaria Executiva de Ações de Saúde (Seas) e a Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa), elaborou uma nota técnica com o objetivo de orientar os profissionais dos diferentes níveis da atenção à saúde para que se mantenham em alerta quanto à identificação precoce de casos de Síndrome Gripal, possibilitando a implementação de medidas que tenham como finalidade quebrar a cadeia de transmissão.

Em Maceió, as UPAs Cidade Universitária e Jaraguá foram definidas como unidades sentinelas, especificamente para o envio de amostras biológicas aleatórias. Além delas, também foram definidas as UPAs Arapiraca, Maragogi, Penedo, Delmiro Gouveia, Palmeira dos Índios, Viçosa, São Miguel dos Campos, Coruripe e Marechal Deodoro.

Vacinas contra Influenza

Em caráter de urgência, a Secretaria de Estado da Saúde solicitou ao Ministério da Saúde, em dezembro, que sejam enviadas mais doses de vacinas contra a Influenza para Alagoas. Ao todo, foram pedidas 100.430 doses da vacina para que seja possibilitada a vacinação, em nível estadual, no público-alvo que compõe o grupo prioritário da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza.

Deixe uma resposta