Empresários pedem vacinação como meio de evitar suspensão das atividades econômicas

Entidades da classe produtiva alagoana também pedem ao governo que sejam intensificadas as medidas preventivas

0
Por Da Redação

Lideranças se reuniram na Casa da Indústria | Assessoria

As lideranças do setor produtivo estão prontas para ajudar o poder público nas ações de enfrentamento à pandemia de Covid-19, mas, entendem que a atividade econômica não pode parar.

Para que a indústria, o comércio e o setor de serviços não parem, as entidades da classe produtiva alagoana pedem ao governo que sejam intensificadas as medidas preventivas, como uso de máscara e distanciamento social, e intensificadas as campanhas sobre a importância da vacinação.

“É preciso intensificar a conscientização, facilitando o acesso de todos à vacina”, defendeu o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), José Carlos Lyra de Andrade, que nesta quarta-feira, 12, reuniu representantes de diversos setores da economia e do governo, num debate amplo sobre formas de aumentar o índice de vacinação contra a Covid-19 em Alagoas.

Participaram do encontro, na Casa da Indústria, sede da Fiea, dirigentes de entidades do Comércio e Serviços (lojistas, hotéis, restaurantes, bares) e os secretários de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, e do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Marcius Beltrão. “Temos que conseguir 90% de imunização. Essa é a única forma de garantir que as atividades econômicas não sejam interrompidas novamente. Para isso, precisamos do auxílio de todos”, disse o representante da Indústria.

Segundo José Carlos Lyra, na manhã desta quinta-feira, 13, haverá a primeira reunião do grupo de trabalho que vai sistematizar as medidas necessárias a esse enfrentamento. A criação do grupo, que vai se reunir na sede da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), foi definida na reunião na Casa da Indústria, e será composto por um representante de cada setor.

“A situação não é fácil, mas unidos e cumprindo as medidas sanitárias, vamos conseguir enfrentar a pandemia sem suspender as atividades econômicas. O governo fará a sua parte, e nós empresários ajudaremos cumprindo todas as normas sanitárias”, afirmou o presidente da Fiea, defendendo cuidados como uso de máscara, vacinação e exigência da carteira de vacinação para acesso a espaços públicos.

Apresentação

Na reunião, o superintendente de vigilância em saúde da Sesau, Herbert Charles, apresentou dados e discorreu sobre a sazonalidade dos vírus respiratórios, coberturas vacinais contra a Covid-19 e as perspectivas da pandemia para 2022. “Este não será um ano fácil”, alertou o superintendente, que também reforçou a necessidade de imunização de 90% da população para que Alagoas não pare.

Deixe uma resposta