Investidores decidem adiar oferta de ações da Braskem

Com a piora das condições de mercado, Petrobras e Novonor não estavam dispostos a pagar o preço mínimo esperado pelos ativos

0
Por Da Redação

Bloomberg – Os acionistas controladores da Braskem (BRKM5) decidiram adiar uma bilionária oferta de ações da petroquímica, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

Com a piora das condições de mercado, investidores não estavam dispostos a pagar o preço mínimo esperado pela Petrobras (PETR3;PETR4) e a Novonor, o conglomerado antes conhecido como Odebrecht, de acordo com as pessoas. As discussões de preço giravam de torno de R$ 40,00 por ação, desconto significativo ante o preço de fechamento da quinta-feira, de R$ 46,51, segundo as pessoas, pedindo para não serem identificadas discutindo assuntos privados.

Procurada, a Novonor não comentou. Braskem e Petrobras não responderam imediatamente a pedidos de comentário.

A Novonor estava disposta a vender 79.182.48 ações e a Petrobras, 75.704.061, segundo prospecto da oferta, em uma transação que poderia alcançar mais de R$ 8 bilhões. Morgan Stanley, JPMorgan, Bradesco BBI, Itaú BBA, Citi, UBS BB Investment Bank, BTG Pactual e Santander Brasil coordenavam a oferta.

A Novonor, que vem lutando para se recuperar após a investigação Lava Jato, disse que usará parte dos recursos para pagar dívidas com os credores Bradesco, Itaú e Santander. Para a Petrobras, a venda é um passo a mais em sua estratégia de desinvestimento de ativos não-essenciais para se concentrar na região do pré-sal.

Carta aberta

Nessa quinta-feira, um grupo formado por entidades diversas e por moradores dos bairros de Maceió atingidos pela mineração de sal-gema lançou uma carta aberta alertando que a mineradora “tem um passivo não resolvido nem precificado em Alagoas, uma dívida que pode oscilar entre 7 e 12 bilhões de reais”. Leia mais clicando AQUI.

Deixe uma resposta