terça-feira 31 de janeiro de 2023

Paulo Dantas não empolga aliados e sua escolha para governador-tampão dá sinais de esvaziamento

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação

A indicação do nome do deputado estadual Paulo Dantas (MDB/AL) para ser o governador-tampão, caso Renan Filho (MDB/AL) decida deixar o cargo para disputar a eleição de outubro, tem sido criticada nos bastidores políticos por não apresentar crescimento satisfatório. Seus apoiadores avaliam que o nome do parlamentar “não ganhou corpo” suficiente para atrair apoios, e está se esvaziando.

Nem mesmo o governador Renan Filho declarou apoio à sua indicação, e as especulações no sentido de que seria o nome da preferência dos Calheiros (pai, senador Renan, e filho, governador) seguem tendência de esfriamento.

Para os aliados, a falta de empolgação se deve ao temperamento fechado de Paulo Dantas, que vai de encontro à nova realidade das campanhas. Estas, alertam os marqueteiros políticos, exigem dos candidatos cada vez mais a disposição de um animador de auditório.

Indicação de Paulo Dantas (E) é articulação do presidente da Assembleia, Marcelo Vítor | Foto: Assessoria

O candidato precisa saber fazer uso eficiente das redes sociais, produzindo conteúdo diariamente para ganhar curtidas e compartilhamentos.

Curso de oratória e a contratação de especialistas em redes sociais estão entre as prioridades de quem deseja disputar cargo eletivo, especialmente se for majoritário. Afinal, como já prenunciava Abelardo Barbosa, o popular Chacrinha, ícone da TV brasileira, “quem não se comunica se trumbica”.

Essa não parece ser a praia do deputado emedebista. Nem mesmo a vantagem de ser pouco conhecido do eleitorado, ou seja, não é um nome desgastado com escândalos, está sendo aproveitada pelo parlamentar.

Como sua candidatura a governador-tampão, e mais ainda a pretensão de disputar o cargo em outubro, é uma obra coletiva, Paulo Dantas depende do apoio de parcela significativa dos deputados estaduais e do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Vitor, para vencer o desafio de ser o nome da vez na política alagoana.

Uma dependência excessiva, resultado de seu estilo intramuros.

Se quiser ser de fato o governador-tampão, Paulo Dantas precisa conseguir um acordo coletivo, unindo em torno de seu nome as cabeças coroadas da política estadual. Ao que parece, até agora seu esforço não empolgou os aliados.

Mais lidas

Na luta contra o terrorismo PM’s alagoanos vão reforçar segurança em Brasília

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação Cinquenta policiais militares alagoanos já

Pré-matrícula para alunos novatos começa dia 16 de janeiro

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação A pré-matrícula para novatos da

Sidarta: A necessária lucidez sobre as drogas

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação Por Inês Castilho, do Outras

O maior assalto da história ao cofres da Petrobras

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação Para onde está indo o

Bolsonaro e Silvestre Péricles fazem ‘pegadinhas’ para sucessores nos palácios

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação O primeiro dia do presidente

Inep publica o cronograma para o Enem 2023

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação          

‘’A gente quer comida, diversão e arte’’, Margareth Menezes tomará posse do cargo de ministra

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação   A cantora baiana, muito

Governo Lula mantém MP que zera impostos sobre preços dos combustíveis até fevereiro

9 de fevereiro de 2022 7:30 por Da Redação Apesar do receio de muitos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *