Erro na confecção de placa apaga homenagem ao músico alagoano Misael Domingues

Injustiça foi identificada e denunciada pelo pesquisador Claudevan Melo

0
Por Da Redação

Foto: Cortesia

O pesquisador alagoano Claudevan Melo identificou um erro grosseiro na identificação da Rua Misael Domingues (1857-1932), no bairro do Poço, em Maceió. A placa instalada na esquina troca o nome da via para, simplesmente, Avenida do Ferroviario (sic). “O que eles não imaginam é que Misael Domingues não era ferroviário, ele era engenheiro da Great Western”, explica Melo.

O projeto de lei que dá o nome do renomado compositor e pianista alagoano ao logradouro foi aprovado pela Câmara Municipal de Maceió. A rua fica entre a Rua Barão de Atalaia e a Rua Buarque de Macedo, tendo duas importantes referências, o Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e o PAM Salgadinho.

Veja o relato do professor:

Quem foi Misael Domingues

Misael Domingues | Reprodução

Misael Domingues nasceu na cidade de Alagoas (hoje Marechal Deodoro), no dia 21 de dezembro de 1857 e faleceu no Recife, em 2 de outubro de 1932.

Formado em engenharia civil, trabalhou em Pernambuco e Paraíba, na Great Western Railway, empresa ferroviária britânica que explorou o transporte de carga e de passageiros em Alagoas e em outros estados.

Misael Domingues se tornou um nome destacado nacional e internacionalmente como compositor e pianista, cujo legado deixou mais de 100 obras editadas na forma de partituras.

Os estilos musicais de sua vasta obra para piano de Salão, são: polkas, mazurkas, valsas, nocturno etc.

O maestro e compositor Guerra Peixe, declarou: “o alagoano Misael Domingues é uma espécie de Nazaré da Polca”, se referindo a Ernesto Nazaré.

“O compositor e pianista Misael Domingues é muito difundido e executado fora de Alagoas, são muitos os pianistas do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Pernambuco que gravaram em disco LPs e CDs, obras do mestre alagoano”, declarou Claudevan Melo.

O pesquisador pede que a prefeitura de Maceió faça a necessária correção do erro contido na placa da rua que homenageia o músico. O acervo de Claudevan Melo tem mais de 50 gravações e quase todas partituras de Misael Domingues.

Deixe uma resposta