Com direção do CRB dividida, empresário-diretor fica com mais poderes

Enquanto tivermos este modelo, nada vai mudar, o CRB sempre terá um dono, ou um grupo de donos, como na atual gestão

0

16 de maio de 2022 por Nivaldo Mota

Reprodução

E a direção do CRB, sem nenhuma perspectiva, sem saber o que fazer, resolve demitir o treinador Marcelo Cabo, mas será que o treinador é o único culpado pelo rendimento do time, lanterna da Série B?

Tenho convicção que não, só para esclarecer, nunca gostei do trabalho do Marcelo Cabo, em qualquer situação ou tendo em mãos um plantel mais competitivo ele sempre joga por uma bola, sempre na retranca, mas sinceramente, ele dessa vez não tem culpa de nada!

A vinda de Daniel Paulista, como novo treinador, não resolverá nada, com este elenco, nem Guardiola daria jeito!

E afinal, quem são os culpados pela péssima campanha do CRB até o momento na Série B? A dupla dinâmica, o presidente das redes sociais e o empresário de jogadores transformado em diretor de futebol. Marroquim e Thiago Paes, estão afundando o CRB, com as velhas práticas de sempre!

O CRB não tem comando, tem uma junção de pessoas, não há unidade, segundo as fontes consultadas, o clima interno entre os próprios dirigentes é o pior possível, principalmente pela arrogância do presidente e por quem de fato manda em tudo mesmo, o diretor de futebol, é ele o responsável por todos os penas de pau trazidos para o CRB!

Não é o caso de sentir saudades de qualquer administração passada, já falei aqui, o problema do CRB está na gênese, a forma que estes caras são eleitos é o que favorece este tipo de prática, se acham acima dos pobres mortais, se acham acima de todos, uma boçalidade sem tamanho.

Eles são eleitos por um Conselho Deliberativo que nunca é renovado, os membros deste conselho antiquado, é quem elege uma gestão, longe da torcida, bem distante do sócio, não ouço uma voz sequer dentro do clube que questione esta fórmula antidemocrática para se eleger uma direção de um clube de massa e que envolve tanta paixão acumuladas em mais de cem anos de história.

Que ver um caso, além de contratar apenas jogadores que são do empresário diretor de futebol, o presidente e atual gestão repete Marcos Barbosa, renegam a camisa número um do clube. Estes caras não leem o estatuto do clube, parece que tem vergonha de uma camisa quase única no mundo, bonita, e o Conselho, sempre acéfalo, não cobra nada!

Enquanto tivermos este modelo, nada vai mudar, o CRB sempre terá um dono, ou um grupo de donos, como na atual gestão, mas os interesses destes grupos nunca são revelados, o sócio e os torcedores que se danem bem longe das decisões do clube.

Deixe uma resposta