Orquestra de Goiânia apresenta obra de compositor alagoano

Poema Sinfônico Anhanguera para Coro e Orquestra, de Hekel Tavares, será executada dia 29 de junho, na capital goiana

0

16 de maio de 2022 por Da Redação

Apresentação será no Palácio da Música no Centro Cultural Oscar Niemeyer | Divulgação

A Orquestra Sinfônica de Goiânia (GO), sob a regência do maestro Eliseu Ferreira, fará uma apresentação do Poema Sinfônico Anhanguera para Coro e Orquestra, do compositor alagoano Hekel Tavares (1896-1969), no dia 29 de junho.

A obra somente havia sido executada na íntegra pelo próprio compositor no Rio de Janeiro, em 1954. A apresentação ocorrerá no Palácio da Música no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia-GO.

O Poema Sinfônico Anhanguera é composto de seis atos, o primeiro é A Bênção da Bandeira; o segundo ato, Anhanguera; o terceiro ato, Penetração; o quarto ato, Caníde-Ioune; o quinto ato, Dança do Chefe; e o sexto ato é Nas Terras Centrais.

Bartolomeu Bueno da Silva filho, o Anhanguera, como fico conhecido na história do Brasil, foi o bandeirante responsável pela descoberta de ouro no estado de Goiás.

Este poema só foi possível ser apresentada pela Orquestra Sinfônica de Goiânia por que é uma das centenas de obras de Hekel Tavares adquirida pelo pesquisador alagoano Claudevan Melo. O pedido de Alberto Tavares, falecido recentemente e filho de Hekel Tavares intercedeu para que o material chegasse até o maestro Eliseu Ferreira.

A obra do compositor Hekel Tavares refaz através da escrita musical os passos do Bandeirante proporcionando ao ouvinte o desvendar do povoamento do Brasil Central, a travessia, o contato com os indígenas reproduzido no cântico “Caníde-Ioune”.

Entradas e Bandeiras é como foram denominadas as expedições realizadas no século XVIII pelos colonizadores portugueses e que tiveram como objetivo a captura de índios para o trabalho escravo e a procura por metais preciosos, como ouro, prata e diamante.

Logo após a crise do açúcar, iniciada em meados do século XVI, tanto a Coroa portuguesa como particulares organizaram expedições para explorar outros tipos de riqueza no interior da colônia.

Histórico

Para Barbara Mayer, no início dos anos 1920, Hekel Tavares foi para o Rio de Janeiro para estudar piano e harmonia na Escola Nacional de Música, mas abandonou o instituto sem diploma depois de poucos meses por medo de correr o risco de ser influenciado no seu desenvolvimento musical duma maneira indesejada. Foi nesta escola que conheceu o Heitor Villa-Lobos, que também não terminou o curso. É importante saber que os dois compositores eram muito amigos por toda a vida; tinham tanto um gosto musical comparável como uma personalidade forte em relação as suas ideias musicais que era combinado com um inegável talento musical intuitivo. Hekel trabalhava então como compositor e pianista acompanhador nos teatros de revista na Praça Tiradentes no Rio de Janeiro; onde compôs a Peça do Carnaval Stá na Hora, o seu primeiro grande sucesso atraindo a atenção dum vasto público. Assim começou a sua 1a fase de composição, a fase popular, caracterizada pela composição de canções populares (durando até ao início dos anos 1930). www. musicabrasilis.org.br

*Colaboração do pesquisador Claudevan Melo

Serviço:

Apresentação do Poema Sinfônico Anhanguera para Coro e Orquestra, do compositor alagoano Hekel Tavares

Quando: 29 de junho de 2022

Onde: Palácio da Música no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia (GO)

Horário: 20h

Compartilhe

Deixe uma resposta