quinta-feira 13 de junho de 2024

Lessa se desloca para o bloco do governo impondo segunda derrota a Rodrigo Cunha

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação

Ronaldo Lessa reagiu ao modo indiferente como teria sido tratado | Foto: Reprodução

A leitura das pesquisas de opinião sobre a sucessão estadual tem levado a cúpula do MDB, e os caciques da Assembleia Legislativa, a considerar o nome de Ronaldo Lessa como um bom candidato a vice- governador, na chapa de Paulo Dantas (MDB).  A imagem positiva de Lessa, um experiente gestor, prefeito de Maceió e duas vezes governador de Alagoas , poderá ser traduzida em votos, além de agregar confiança à chapa liderada por Dantas.

Há dois dias, o Partido Democrático Trabalhista (PDT), legenda presidida por Ronaldo Lessa, reuniu seu comando partidário em Maceió e o estadual, para avaliar como participar dessa eleição. Um das decisões foi que não será possível apoiar Rodrigo Cunha (PSDB).

O senador peessedebista é, até agora, o nome escolhido para ser o candidato a governador do grupo liderado pelo deputado federal Arthur Lira (PP).

Razão do afastamento

As lideranças do PDT não escondem a insatisfação com o senador, que, segundo uma fonte do 082Notícias, tem desdenhado de Lessa, o principal líder trabalhista de Alagoas. Cunha não atende as ligações telefônicas e muito menos recebe Ronaldo Lessa para conversar sobre a campanha.

Segundo essa fonte, Rodrigo Cunha não faz qualquer movimento político sem antes conversar com Arthur Lira (PP). Esse tem sido um dos principais motivos para o afastamento de Lessa, além da vinculação de Lira ao palanque bolsonarista.

As tratativas para uma aliança com os trabalhistas estão cada vez mais aceleradas. É tanto que representantes do partido já estão se reunindo com a assessoria do governador Paulo Dantas (MDB), e com deputados ligados a ele, para tratar de temas do interesse do PDT no Programa de Governo.

Derrotas

O próximo passo é uma reunião com os caciques emedebistas, senador Renan Calheiros e o ex-governador Renan Filho.

A aliança do PDT com o bloco do governo é a segunda derrota do senador Rodrigo Cunha, antes do início oficial da campanha. A primeira foi o impedimento da deputada estadual Jó Pereira (PSDB) que, por questões eleitorais, não poderá compor sua chapa como candidata a vice-governadora.

Fechando com o bloco do MDB, Ronaldo Lessa estará no melhor dos mundos, podendo ser contundente no campo da esquerda e, principalmente, participar do movimento antibolsonarista.

A união entre Paulo Dantas/ Renan Filho/ Renan Calheiros/ Teo Vilela e agora Ronaldo Lessa, é obra de profissionais, consolidada pelo apoio do pré-candidato Lula, líder nas pesquisas sobre o futuro presidente do Brasil.

Além disso, a base dessa aliança política conta com uma grande mobilização dos movimentos sociais de Alagoas. Quem tem dificuldade em avaliar as movimentações políticas, observando os diversos campos da sociedade, deve reavaliar suas posições.

Mais lidas

Alagoas conta com Núcleos de Apoio ao Fumante em 13 municípios

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação Com o objetivo de ajudar

STF volta a julgar recurso de Collor para anular condenação por corrupção na Lava-Jato

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação O Supremo Tribunal Federal (STF)

Marielle: a quem se destina a terra?

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação Por Eliane Brum, do portal

CPI da Braskem tem 35 dias para concluir investigação, que inclui visita aos bairros destruídos

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação Com o objetivo de investigar

Sem declarar IR cidadão não pode sequer receber prêmio de loteria que, acumulada, hoje sorteia

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação O prazo para entrega da

Risco de morte após a febre chikungunya continua por até 84 dias, diz Fiocruz

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação Em meio à epidemia de dengue

Saúde volta a alertar alagoanos sobre medidas de prevenção contra a dengue

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação A Secretaria de Estado de

PF indicia filho de Bolsonaro por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro

22 de junho de 2022 7:56 por Da Redação A Polícia Federal em Brasília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *