quarta-feira 7 de dezembro de 2022

Após aliança na disputa pelo governo, JHC não sabe se Arthur Lira apoiará sua reeleição

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação

Arthur Lira (C)) não conseguiu convencer JHC a disputar governo, mas teve seu apoio para Rodrigo Cunha (D) | Reprodução

O prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (PL), o JHC, começa a tratar da recomposição do seu governo para os últimos dois anos do mandato. Seu objetivo é a reeleição, num cenário, digamos, desfavorável. No processo eleitoral deste ano, JHC apoiou a candidatura do senador Rodrigo Cunha (UB) para governador, mas foi derrotado. O candidato Paulo Dantas (MDB) se reelegeu e tem, agora, um mandato de 4 anos.

Outro revés sofrido pelo prefeito foi a derrota de seu irmão, Dr. JHC (PSB), candidato a deputado federal que, mesmo com expressiva votação não se elegeu. O Dr. JHC teve 92.594 votos, mas a chapa pelo qual disputou, não obteve quociente eleitoral.

A disputa pelo comando do governo maceioense se dará em outubro de 2024. Para essa disputa, o prefeito JHC terá pela frente candidaturas adversárias com forte densidade eleitoral. Um possível oponente à sua reeleição é o deputado Davi Davino Filho (PP), que saiu da disputa pelo Senado em segundo lugar, com 627.397 votos (42,22%). Desse total , 239.893 votos foram em Maceió.

Pela expressiva votação que obteve está entre os líderes do Partido Progressista na capital, e no estado. No enfrentamento com Renan Filho (MDB), que venceu a eleição, Davi Davino  teve o decisivo apoio do deputado federal Arthur Lira (PP), reeleito com 219.452 votos.

A questão agora é saber se, na disputa pela Prefeitura de Maceió, Lira vai compor com o prefeito JHC, a quem se uniu para tentar eleger Rodrigo Cunha, ou ficará com Davi Davino, seu correligionário e nome bastante competitivo. Uma incógnita que, certamente, está “esquentando” a cabeça do jovem prefeito.

Embora formem grupos diferentes, JHC e Arthur Lira estiveram próximos na eleição 2022, mas nada garante que seguirão aliados até as eleições de 2024. Entretanto, se encontrarem um ponto de unificação haverá muita chance de JHC permanecer na Prefeitura.

O fato é que o prefeito já começa a dar mais atenção à sua própria reeleição. A onda bolsonarista tende a perder força em Maceió, e ele precisa garantir o bom resultado da sua administração, pois é o que passará pelo crivo da população.

Tendo a distância imposta pelo calendário eleitoral como um obstáculo, JHC sabe que o favoritismo de hoje pode não se confirmar no momento da campanha. É assim que funcionam as disputas eleitorais.

Mais lidas

Redes bolsonaristas usam Lula, PT e religião na convocação para o 7 de setembro

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação Por Bruno Fonseca, da Agência

Equatorial deve reposicionar postes para permitir construção de rodovia

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação A juíza Marcli Guimarães, da

Linha que atende a Avenida Rota do Mar receberá reforço nos dias úteis

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação A Superintendência Municipal de Transportes

O que defendem os deputados federais de Alagoas

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação A bancada de Alagoas na

Paulo Dantas não empolga aliados e sua escolha para governador-tampão dá sinais de esvaziamento

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação A indicação do nome do

Antes de greve geral, policiais civis fazem manifestação cobrando reajuste salarial

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação Em luta para conseguir que

Internações por Covid aumentam e governador Renan Filho apela por cuidados

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação Mesmo considerado menos letal, o

Contratações de pessoas no Ensino Superior crescem 51% em Alagoas

11 de novembro de 2022 12:29 por Da Redação Por Lucas Thaynan, da Agência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *