terça-feira 28 de maio de 2024

Atrações multiculturais vão movimentar segundo dia do Festival Verão Massayó

Apresentações no palco Sururu começam às 19h; no palco Minha Sereia, os shows começam às 20h
Reprodução

O segundo dia do Festival Verão Massayó movimentará a noite desta quinta-feira (12), no bairro do Jaraguá. O palco Sururu estreia com muito rock, rap e som experimental, a partir das 19h. Já o palco Minha Sereia trará forró, axé e música pop. O evento segue até domingo (15), com mais de 40 apresentações de diversos gêneros musicais.

Para prestigiar o evento é necessário levar 1 kg de alimento não perecível, a ser entregue no momento da vistoria dos seguranças, em um dos portões de acesso aos locais dos shows.

Em todos os dias do Festival Verão Massayó, o Mercado do Jaraguá será aberto em horário expandido, com apresentações culturais e comércio de alimentos.

Durante o evento haverá ônibus de graça. Serão 31 linhas, saindo de vários pontos da cidade, disponíveis das 18h às 5h. Eles serão identificados com o número da linha e a legenda ‘Verão Massayó’. Os embarques serão feitos pelas portas do meio e traseira e não será preciso apresentar o cartão Vamu. Confira aqui.

Confira a ordem de apresentação desta quinta (12)*

Palco Minha Sereia – A partir das 20h

Marcinho Sensação

Léo Santana

Xand Avião

Dennis DJ

Zé Neto Leão

Palco Sururu – A partir das 19h

Favela Soul

NSC Alex

Marcelo Falcão

Cachorro Urubu

*Ordem da programação pode ter alteração sem aviso prévio

Serviços

Os palcos vão contar com atendimento em saúde do público, sendo dois postos médicos nas proximidades do palco Minha Sereia e um no Sururu. As pessoas com deficiência terão acesso assegurado ao evento. No palco Minha sereia foi montado um camarote acessível a cadeirantes e outros tipos de deficiência. Já o Sururu terá um acesso exclusivo para este público, que vai ficar com o lugar assegurado na frente do palco (front). Duas vans levarão as pessoas com deficiência para os locais do evento, sendo o ponto de encontro em frente ao restaurante Dragão, na Pajuçara.

Durante o evento haverá a campanha Maceió sem Assédio, que vai estar ativa em todo o Verão Massayó. A iniciativa é do Gabinete de Políticas Públicas para Mulheres, ação do projeto Salve Mulher. Dois espaços foram montados para denunciar assédios nos palcos Minha Sereia e Sururu, que contará com atendimento humanizado e a presença de guardas municipais.

No palco Minha Sereia haverá um espaço para achados e perdidos, ao lado do camarote para pessoas com deficiência. No sururu, a ação é volante, quando prestadores de serviços com identificação, vão recolher itens e encaminhar as pessoas que estiverem perdidas para identificar amigos e parentes.

Além do serviço de coleta seletiva organizada com a parceria de cooperativas de materiais recicláveis.

Fonte: Secom Maceió

Mais lidas

Marielle: a quem se destina a terra?

Por Eliane Brum, do portal Sumauma “Quem possui a terra possui o homem.” Essa

CPI da Braskem tem 35 dias para concluir investigação, que inclui visita aos bairros destruídos

Com o objetivo de investigar a responsabilidade jurídica e socioambiental da mineradora Braskem no

Sem declarar IR cidadão não pode sequer receber prêmio de loteria que, acumulada, hoje sorteia

O prazo para entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) em

Risco de morte após a febre chikungunya continua por até 84 dias, diz Fiocruz

Em meio à epidemia de dengue e ao aumento de casos por febre chikungunya, um

Saúde volta a alertar alagoanos sobre medidas de prevenção contra a dengue

A Secretaria de Estado de Alagoas (Sesau) volta a alertar a população alagoana sobre

PF indicia filho de Bolsonaro por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal em Brasília indiciou Jair Renan Bolsonaro, filho do ex-presidente Bolsonaro, pelos

FAEC anuncia calendário anual de eventos esportivos para o público escolar

A Federação Alagoana de Esportes Colegiais (FAEC) anunciou o calendário anual de eventos para

Bar do Doquinha: o lar enluarado da boemia

Por Stanley de Carvalho* Há 60 anos, quando os portões de Brasília começaram a

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *