quinta-feira 23 de maio de 2024

Sob omissão das autoridades, movimento salva manguezal em Garça Torta

Obra improvisada ameaçava ecossistema e moradores de um dos bairros mais tradicionais de Maceió
Foto: Cortesia

Movimentos e moradores salvaram, ao menos temporariamente, o manguezal na região de Garça Torta, em Maceió. O ecossistema se viu ameaçado após a construção de um condomínio de luxo no local. Depois de muita mobilização e denúncias, o síndico do Morada da Garça, construído em Área de Proteção Permanente (APP), desistiu da “solução” para tentar contornar a inundação do condomínio.

A natureza, degradada, reagiu à invasão. “Por consequência da retirada da vegetação nativa, anos passaram e o mangue seguindo o seu fluxo natural está adentrando água no condomínio. No intuito de conter este processo foram contratados tratores para a realização da ‘obra’, que consiste em levar sedimento (areia) para o encontro do mangue com o mar, na tentativa inútil de conter o fluxo da água e assim matar o mangue”, explica a estudante de Geografia da Ufal, Ismaia Gabriela.

Veja o vídeo:

Os defensores do manguezal enumeram as consequências caso a ação desastrosa tivesse continuidade:

  • Morte de espécies e desequilíbrio de todo um ecossistema.
  • Devido ao fluxo da maré essa sedimentação depositada seria arrastada mediante o recuo da maré e, posteriormente, com a maré alta este sedimento seria depositado sobre todos os corais, soterrando-os (mudaria a paisagem local, perdendo as piscinas naturais, e principalmente os peixes migrariam para essa região com menos frequência,  o que prejudicaroa quem vive de pesca, e do turismo local).
  • Outro fator importante sobre esta sedimentação é que seria depositada em toda a praia, interferindo nos bares Dona Marival, Bar da Garça, Bar do Carlinhos, entre outros, que receberiam maior quantidade de areia.
  • E atingiria todas as casas, que, por consequência do recuo da maré, o processo erosivo que está acontecendo (evidenciado nas quedas dos muros, coqueiros ao longo da praia). Essa ação seria intensificada e acelerada. Ou seja, mediante o aumento do nível do mar esse processo já ocorre, mas, com esta ação de aterramento aconteceria com mais rapidez e frequência.
  • Ou seja, interferiria na vida de todos os moradores, diretamente os pescadores e o comércio que vivem das atividades em torno da pesca.
Tartaruga morta encontrada na região | Cortesia

Autoridades silenciam

Os envolvidos afirmam que foram enviadas mensagens e feitas diversas tentativas via telefone junto a diversos órgãos, mas, sem resposta até o momento. Integram o movimento o Grupo Capoeira, Guerreiro dos Oceanos, Mangue Vive e Coletivo Beija Flor. A vitória atribuem às pessoas que se mobilizaram e fizeram pressão ao condomínio de luxo em defesa do mangue.

Mais lidas

CPI da Braskem tem 35 dias para concluir investigação, que inclui visita aos bairros destruídos

Com o objetivo de investigar a responsabilidade jurídica e socioambiental da mineradora Braskem no

Sem declarar IR cidadão não pode sequer receber prêmio de loteria que, acumulada, hoje sorteia

O prazo para entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) em

Risco de morte após a febre chikungunya continua por até 84 dias, diz Fiocruz

Em meio à epidemia de dengue e ao aumento de casos por febre chikungunya, um

Saúde volta a alertar alagoanos sobre medidas de prevenção contra a dengue

A Secretaria de Estado de Alagoas (Sesau) volta a alertar a população alagoana sobre

PF indicia filho de Bolsonaro por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal em Brasília indiciou Jair Renan Bolsonaro, filho do ex-presidente Bolsonaro, pelos

FAEC anuncia calendário anual de eventos esportivos para o público escolar

A Federação Alagoana de Esportes Colegiais (FAEC) anunciou o calendário anual de eventos para

Bar do Doquinha: o lar enluarado da boemia

Por Stanley de Carvalho* Há 60 anos, quando os portões de Brasília começaram a

Seduc anuncia processo seletivo para a Educação Especial

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) divulgou no último dia 6, no Suplemento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *