quinta-feira 23 de maio de 2024

Primeiros anos do futebol em Alagoas

Estádio da Pajuçara na década de 1920. Foto de Antenor Pitanga

Por Edberto Ticianeli, História de Alagoas

mais antiga informação sobe a prática do futebol em Alagoas vem de Penedo, onde, segundo o professor Raul Rodrigues, em alguma data próxima a 1906 organizou-se o “Foot-Ball Club” por iniciativa dos irmãos ÁlvaroFernando e Zeca Peixoto, envolvidos em projetos industriais naquele município. Não se sabe se esse primeiro impulso chegou a se constituir formalmente em uma associação.

Em Maceió, o foot-ball tem registro de que foi jogado a partir de janeiro de 1908, como noticiou, na primeira página, o jornal Gutenberg de 28 de janeiro de 1908. Uma nota comunica a reabertura das aulas na Escola de Aprendizes Marinheiro, em Jaraguá: “No estabelecimento da Escola foram introduzidos vários melhoramentos, no intuito de desenvolver também a educação física dos menores. Às quartas-feiras, à tarde, será jogado o foot-ball, divertimento e exercícios utilíssimos”.

Antigo prédio da Escola de Aprendizes de Marinheiro em Jaraguá, onde primeiro se praticou o futebol em Maceió

Como se perceberá nas informações seguintes, o esporte que chegou ao Brasil pelos pés do paulista Chales Miller, manteve, nos seus primórdios, o uso das expressões originárias da língua inglesa.

Miller era filho do escocês John d’Silva Miller — veio ao Brasil para trabalhar na São Paulo Railway Company —, e da brasileira Carlota Antunes Fox, de ascendência inglesa. Tinha dez anos quando foi estudar na Inglaterra. Em Southampton aprendeu a jogar futebol na Bannister Court School.

Quando retornou ao Brasil, em 18 de fevereiro de 1894, trouxe na bagagem duas bolas usadas, um par de chuteiras, um livro com as regras do futebol, uma bomba de encher bolas e uniformes usados.

Depois de difundir o esporte entre amigos e funcionários da São Paulo Railway Company, onde trabalhava, fez realizar, no dia 14 de abril de 1895, na Várzea do Carmo, no Brás, em São Paulo, a primeira partida de futebol do Brasil, Colocou em campo os funcionários da Companhia de Gás de São Paulo (São Paulo Gaz Company) e da Companhia Ferroviária de São Paulo (São Paulo Railway Company), que venceu por 4 a 2.

Primeira foto de uma partida de futebol no Brasil, em 1894. Jogam o Sport Club Internacional e o Sport Club Germania no Pátio do Bom Retiro ou Chácara Dulley, na Rua Três Rios em São Paulo

Os clubes alagoanos até 1930

Alagoano Foot-ball Club, de Maceió

primeiro clube de futebol de Alagoas foi fundado no dia 28 de dezembro de 1908, como noticiou o Gutenberg em sua edição de 29 de dezembro daquele ano, ao destacar o surgimento em Maceió da associação “sportiva” Alagoano Foot-ball Club. A “esperançosa sociedade” elegeu a seguinte diretoria: presidente, acadêmico Manoel de Mello Machado; vice-presidente, dr. José Leão Rego; 1º secretário, acadêmico Gilberto de Andrade; 2º secretário, acadêmico Gastão Silveira; tesoureiro, dr. Farias Costa; comissão de estatutos, drs. Orlando Araújo, Antonio Machado, Antonio LeiteCarlos ValenteJosé Guedes LinsJ. Augusto C. Gama; comissão de sindicância, dr. Jacintho Medeiros e acadêmicos Theodoro Palmeira e Sylvio Pellico.

futebol em Alagoas deixava de ser uma forma de exercício físico para se organizar em instituições competitivas. Seus pioneiros em Maceió eram estudantes alagoanos que tiveram contato com a bola em Recife ou no Rio de Janeiro, e que, naquele final de ano estavam de volta à terra natal para as férias.

No dia 31 de dezembro, à 1h da tarde, ocorreu a primeira reunião do Alagoano, na casa do presidente Manoel Machado, na Praça dos Martírios, nº 6. Manoel era quintanista de Medicina na Bahia e irmão do dr. Arthur Machado. Eram filhos do Comendador José Teixeira Machado, um rico proprietário. Foi presidente da Companhia Alagoana de Trilhos Urbanos (CATU).

Gutenberg publicou no dia seguinte o resultado da reunião, informando que havia sido “instalado este novo centro de sport, do qual fazem parte distintos cavalheiros de nossa melhor sociedade e brilhante plêiade acadêmica”.

Além da eleição da diretoria, foi designada “uma comissão para redigir os estatutos e escolhido o local apropriado, sendo designada uma comissão para entender-se com o proprietário do terreno, o senhor coronel Américo Almeida, de cuja resposta e solução depende de outras deliberações”.

O campo instalado no terreno do coronel Américo Almeida Guimarães foi utilizado a partir de 7 de março de 1909, ainda com demarcações irregulares. Somente em agosto daquele ano foi que o clube recebeu as dimensões próprias para o futebol, como registrou o Gutenberg de 10 de agosto de 1909: “Em virtude de nova demarcação, o terreno do Jacutinga, graciosamente cedido pelo coronel Américo Guimarães, ganhará mais 8 metros de largura, aproximando-se assim das dimensões regulares”. Há registros de que tinha arquibancadas.

Cabeça da Ladeira do Brito em meados do século XX. O campo do Alagoano Foot-ball Club ficava nas proximidades, onde atualmente existe uma caixa d’água

A mesma reportagem constatava que a camisa de cor preta utilizada pelos atletas tinha se mostrado inadaptável por ser muito quente. Adotaram o azul claro, mas “o calção, o cinto, as meias e as botinas” permaneceram pretos.

Alagoano Foot-ball Club realizou no dia 7 de março de 1909, logo cedo, às 6h da manhã, seu primeiro “ensaio”. Já no seu ground do Alto do Jacutinga. O segundo treino foi no dia 13 de março, mas às 5 horas da tarde. Na verdade, um match entre dois teams do Alagoano.

Por causa do crescente interesse pelo futebol, muitos curiosos estavam atrapalhando os treinos do Alagoano, o que levou o clube a publicar uma nota no Gutenberg, de 16 de março de 1909, comunicando que o presidente, dr. Manoel Machado, havia determinado que somente os sócios teriam ingresso no ground do alto do Jacutinga, “a fim de evitar perturbações nos exercícios”. Houve um treino no dia seguinte e nos dias 20, 26 e 30 de março, este o último antes da primeira apresentação oficial e por isso foi permitida a presença das famílias e autoridades, que utilizaram algumas cadeiras colocadas à margem do campo.

partida (match) considerada como inaugural do Alagoano Foot-ball Club ocorreu às 16 horas da quarta-feira, 31 de março de 1909. Foi entre os dois teams do mesmo clube.

O jornalista do Gutenberg, entusiasmado, escreveu: “Sabemos que vai pela nossa mocidade a maior animação para que o foot-ball progrida entre nós, a semelhança do Rio, São Paulo, Bahia e outros centros cultos do país, que já vão compreendendo a necessidade inadiável do exercício físico no Brasil”.

Mas não era somente o desenvolvimento dos músculos dos atletas que o repórter observava: “Além de tudo, o futebol tem um fim delicioso: os seus grounds principalmente quando são espaçosos belos como o campo do Alagoano, situado no aprazível Jacutinga, tornam-se em todas as terras civilizadas o rendez-vous chic do belo sexo, e toda a haute-gomme, enfim…”.

ground (campo de futebol) do Alagoano, no “aprazível Jacutinga”, ficava entre o atual Parque Gonçalves Ledo, então conhecido como Alto do Brito, e a Rua Saldanha da Gama, onde ficava a Estação dos Bondes (atualmente a Panificação Brasília). Essa localização é confirmada por Félix Lima Júnior em 2 de março de 1952 no Diário de Pernambuco. Em um dos seus textos sobre “Maceió Antigo”, cita que na primeira década do século XX “não tínhamos distrações. O foot-ball com seus dois clubes — Alagoano e Republicano, ensaiavam seus primeiros passos, organizando jogos no Farol, na atual praça Gonçalves Ledo…”.

No dia do jogo inaugural, o Gutenberg publicou as escalações dos teams, que receberam identificações de Floriano Peixoto e Deodoro da Fonseca.

Floriano Peixoto, de calção preto e camisa branca com faixa azul, foi assim relacionado:

LINHA DE DEFESA

Goal-Keaper: dr. Orlando Araújo
Back (direita): dr. Manoel Machado
Back (esquerda): dr. Sebastião Sampaio
Center-half: dr. Gilberto de Andrade
Half (direita): Luiz Duarte
Half (esquerda): Amarílio Rego

LINHA DE ATAQUE

Center (captain do team): Ismael Clack Accioly
Foward (extrema direita): Álvaro Barros
Foward (extrema esquerda): dr. Barreto Cardoso
Foward (meio direita): dr. Gastão Silveira
Foward (meio esquerda): Helvecio Auto

Deodoro da Fonseca, de calção preto e camisa branca com faixa encarnada, foi assim escalado:

LINHA DE DEFESA

Gool-Keaper: dr. José Leão Rego (dentista)
Back (direita): dr. Amadeo Dourado
Back (esquerda): Antonio Machado
Center-half: Américo Passos Filho
Half (direita): dr. Jacintho Medeiros Filho
Half (esquerda): dr. Valente de Lima

LINHA DE ATAQUE

Center (Captain do team): dr. Mário Rego
Foward (extrema direita): Oscar Aguiar
Foward (extrema esquerda): dr. Euclides Malta Filho
Foward (meio direita): dr. Carlos Menezes
Foward (meio esquerda): dr. Sylvio Pellico

Referee (juiz do jogo): Cláudio Dubeux Filho
Juízes de goal: drs. Farias Costa e Nunes Leite
Juízes de linha: dr. Guedes Lins e dr. Eraldo Passos

Dr. Orlando Araújo, goalkeaper do Alagoano em 1909

No dia 1º de abril, o Gutenberg estampou em manchete de sua primeira página o match de inauguração do ground do Alagoano. A reportagem, de saída informa que o juiz do jogo foi o dr. Nunes Leite e não Cláudio Dubeux Filho como havia sido anunciado.
Estavam presentes o dr. Euclides Malta, governador do Estado; coronel José Miguel, vice-governador no exercício do cargo; coronel Laurindo Júnior, secretário do Interior e “inúmeros cavalheiros de nossa melhor sociedade e grande massa popular”.

Segundo o jornal, “a nota radiosa da festa foi sem dúvida a presença gentil de cerca de cinquenta senhoritas da nossa elite, a melhor recompensa para o esforço smart dos rapazes alagoanos”.

Da partida, o jornalista ressaltava que “não houve um só penalty ou qualquer outro castigo tão comum nos jogadores bisonhos, que iniciam os seus combates sportivos”. O Floriano ganhou por 2 x 0.

O segundo match aconteceu no sábado, 3 de abril. No dia anterior o Gutenberg, ao anunciar mais esse enfrentamento, ainda comemorava o primeiro jogo realizado dias antes:

“O foot-ball caminha entre nós. Caminha a passos ligeiros, como um sport utilíssimo que satisfaz ao bom gosto e às necessidades de ginástica em todos os centros cultos.

As gentilíssimas senhoras e senhoritas que assistiram ao match de anteontem saíram encantadas com a nova diversão esportiva de Maceió. Esse encanto vem materializa-se, como soubemos:

No primeiro match do “Alagoano”, muitas senhoritas irão trajando de azul e outras de vermelho, as cores dos dois teams

Essa carinhosa gentileza das nossas patrícias vai impressionar deliciosamente os moços, sportmen de Alagoas.

E não é só isso.

Já ouvimos de diversas pessoas uma consta igualmente interessante:

Corre entre alguns sócios do Tiro Alagoano um veemente desejo de formação de um team de foot-ball que deverá jogar contra o Alagoano.

Um sport inaugurado assim, com tanto sucesso, não pode morrer. Não morrerá.

E a prova é que sábado, às 4h30 da tarde, o Alagoano abre novamente o seu vasto ground para o seu segundo match-training entre os teams Floriano e Deodoro.

O team Floriano tinha que dar brevemente uma revanche ao time de Deodoro.

Ora, como diversos jogadores de ambos os teams, acadêmicos de medicina e direito, devem seguir viagem por estes dias, a diretoria deliberou realizar a nova partida para a desforra do Deodoro, sábado próximo, às horas de costume.

O dia escolhido não podia ser melhor; estamos prevendo que as cadeiras e arquibancadas do Alagoano vão ficar repletas da fina flor da nossa sociedade.

Para garantia desse êxito esperado, bastam aos valentes rapazes os aplausos e o entusiasmo de suas graciosíssimas patrícias, as gentis propagandistas do foot-ball em Maceió.

Abaixo, publicamos a distribuição dos jogadores nos teams combatentes.

Como verão os leitores conservam-se nos respectivos teams quase todos os foot ballers de quarta-feira última.

Houve, apenas, ligeiras modificações, feitas por acordo unânime de todos os sportmen, destinadas a um completo equilíbrio de forças no match”.

Nessa época surgiram nos jornais as primeiras piadas com o nascente esporte (Gutenberg de 2 de abril de 1911):

— O senhor joga foot-ball?
— Não: desses jogos atléticos só conheço o dominó.

A terceira partida entre os jogadores do Alagoano Foot Ball Club aconteceu na tarde de 11 de abril de 1909, noticiou o Gutenberg: “Realizam, hoje à tarde, no seu vasto campo, o seu terceiro match os destemidos moços desse club sportivo. Para o planalto do Jacutinga haverá desde 3 horas um serviço extraordinário de bondes.

A partir de abril, após os atletas/estudantes terem retornado às aulas em suas faculdades, as escalações dos times passaram a exibir somente os “doutores” já estabelecidos em Maceió.

As dificuldades para colocar 22 jogadores em campo, por falta de atletas, se confirmaram na tarde de 27 de junho de 1909, quando foi realizado o 5º encontro entre as equipes do Alagoano. Diz o jornal Gutenberg: “Foi preciso um grande esforço da parte dos simpáticos sportmans para conseguirem a realização do festival de hoje, isso devido a se acharem fora da capital diversos jogadores”.

Fundado em 28 de dezembro de 1908, o Alagoano Foot Ball Club somente teve seus estatutos aprovados em 12 de julho de 1909.

Modificação importante nesse clube aconteceu no dia 21 de maio de 1917. Por decisão da assembleia geral dos sócios passou a se denominar Alagoano Sport Club. Nessa mesma reunião foi aceita a incorporação do antigo Maceioense Foot-ball Club. Alguns jornais trataram a mudança como resultado da fusão dos dois clubes. Isso fica evidente um ano após, quando se comemorou o primeiro aniversário do Alagoano Sport Club. Era um novo clube.

diretoria eleita nessa assembleia ficou assim constituída: presidente, Agricio d’Albuquerque Porciúncula; vice-presidente, Emmanuel Casado Lima; 1º secretário, José G.  Monte Filho; 2º secretário, Plynius Clack Costa; tesoureiro, José Antonio d’Almeida; orador, José Casado Farias Filho; diretor de sport, Manoel da Silveira Carvalho. Comissão Fiscal: Cândido Macedo Ribeiro, Mário Gomes e João Carvalho Filho.

Alagoano Sport Club tinha sede, em 1917, na Rua do Apolo, nº 39, atual Rua Melo Morais.

Sport Club Penedense e o União Sport Club antes de uma partida em 31 de janeiro de 1909. O Malho (RJ) de 6 de março de 1909. Legenda original: SPORT CLUBE PENEDENSE, ESTADO DE ALAGOAS – Photographia dos teams, verde e branco e vermelho e branco, tirada a 31 de janeiro próximo passado pelo hábil amador-phootographo. Aurelio Phidias, momentos antes de começar a disputa de um match de foot-ball

Sport Club Penedense

Após as primeiras experiências futebolísticas em Penedo ainda em 1906 ou próximo disso, o município ribeirinho do São Francisco viu constituir-se, em 3 de janeiro de 1909, o segundo clube de futebol em Alagoas.

Quem liderou a formação do centenário alvirrubro alagoano —único em atividade entre os pioneiros — foi o industrial Zeca Peixoto, que contou com o apoio de outras personalidades, entre elas João Ramalho, que cedeu a área para o campo de futebol, local onde depois foi erguido o histórico Estádio Alfredo Leahy.

No dia 1º de fevereiro de 1909, o jornal Penedense O Monitor, de Moreno Brandão, noticiava que no dia anterior (31 de janeiro – veja foto) havia sido realizada a segunda partida do “Foot Ball Club” e que uma multidão afluíra à Praça Senhor dos Pobres, no Cajueiro Grande.

O jornal registrou ainda que “a partida ficou indecisa, pois os dois partidos conseguiram igual número de pontos”, e que “um dos dignos membros do “Foot Ball Club”, o jovem Affonso Aquino, foi vítima de um “desastre”.

Em Maceió, o importante feito dos penedenses pouco repercutiu. O Gutenberg de 4 de fevereiro de 1909 foi lacônico: “Em Penedo tem havido algumas partidas no club Foot Ball ali fundado”.

Outro feito pouco lembrado do Penedense aconteceu no dia 23 de maio de 1909, a primeira partida interestadual de um clube alagoano. O jornal O Monitor, de Penedo, assim registrou no dia seguinte: “Foot-ball — Com destino a Propriá [em Sergipe]seguiu daqui ontem uma luzente plêiade de rapazes guapos e destemerosos, que foi disputar naquela cidade ribeirinha um match de foot-ball”.

Chuteira de futebol em 1925

União Sport Club, de Penedo

No dia 10 de maio de 1909, o jornal O Monitor noticiava a fundação de outro clube em Penedo:

União Sport Club — É o nome de um club sportivo fundado nesta cidade, e cuja diretoria, eleita a 2 de maio, é assim composta: presidente, Álvaro Peixoto; secretário, Perillo Gomes; tesoureiro, A. Sales; procurador, Mel. Joventino; Assembleia Geral, Samuel Maia, presidente; Arthur Pereira, secretário”.

Como o primeiro jogo entre o União e o Penedense foi realizado em 31 de janeiro de 1909, como ficou registrado na revista carioca O Malho de 6 de março de 1909, com a foto dos dois teams, é de se supor que a fundação do União se deu ainda em janeiro de 1909.

Novo encontro se deu em 5 de agosto de 1909 (O Cruzeiro, de Penedo): “Na função sportiva de domingo último saiu vencedor o Sport Club Penedense, que usa como distintivo as cores vermelho branco. Foi indiscutível o entusiasmo dos partidários do clube vencedor. Segundo estamos informados, no próximo dia 22 será jogada nova partida”

Germinal, periódico de Penedo, de 8 de agosto de 1909, revelou que nova partida aconteceu bem antes:

“Deverá realizar-se hoje, um match disputado pelo Sport Club Penedense e pela União Sport Club no ground do Cajueiro Grande. Pelo entusiasmo que reina entre os adeptos dos dois clubs sportivos, a festa promete ser animada

Sport Club São Francisco, de Penedo

Somente uma informação atesta a existência desse clube penedense. Foi publicada no dia 14 de novembro de 1909 no jornal Germinal: “Foi organizado nesta cidade mais um club sportivo com a denominação de Sport Club S. Francisco”.

Time do Santa Cruz de Penedo, campeão do Torneio do Centenário de 1922

Guarany e Ipiranga, provavelmente de Penedo

Jornal do Penedo de 24 de janeiro de 1914 registra que no dia seguinte realizar-se-ia, no Cajueiro Grande, “uma partida de Foot Ball, na qual tomarão parte os dois clubes Guarany Ipiranga, tocando na ocasião uma das bandas de música”.

Republicano Foot-ball Club, de Maceió

Em Maceió, a segunda associação futebolística a se constituir foi o Republicano Foot-ball Club. assembleia de fundação aconteceu ao meio-dia de 4 de julho de 1909, na Rua Floriano Peixoto, antiga e futura Rua do Imperador, nº 27.

Sua primeira diretoria era formada por: presidente, Manoel de Castro; vice-presidente, Paulo Valente Ribeiro; 1º secretário, Noly Bandeira; 2º secretário, Orlando Sucupira Junior; tesoureiro, Manoel Gomes; Comissão Fiscal, Severino AlbuquerqueAugusto Miranda e Romualdo Jucá.

Seus treinos eram no ground da Rua Floriano Peixoto. Provavelmente, demarcado no largo que deu origem, anos depois, à atual Praça Sinimbu.

Um desses treinos ocorreu em 1º de agosto de 1909, como divulgou o Gutenberg: “Haverá um esplêndido training no ground do Republicano Foot Ball, à rua Floriano Peixoto, das 6 às 8 da manhã e das 4 às 6 da tarde. Reina grande animação entre seus associados”.

O primeiro match do Republicano Foot-ball Club foi realizado no dia 29 de agosto de 1909, mas não em seu ground. A partida entre os dois teams do mesmo clube utilizou o campo do Alagoano, no Alto do Jacutinga:

Team Benjamim Constant – Calção branco, camisa branca com faixa verde e amarela.

LINHA DE DEFESA
Goal keeper: Manoel de Castro
Backs: Eurico e Juvencio
Center-half: Leonel
Halfs: Rocha e Heitor
LINHA DE ATAQUE
Centre-Forward (Capitain): Manoel Gomes
Forwards: NolyLiberalinoAugustoRamalho.

Team Silva Jardim – Calção Branco, camisa branca, faixa verde e amarela e uma faixa vermelha no braço.

LINHA DE DEFESA
Goal keeper: Julio de Castro
Backs: José Esteves e Romualdo
Center-half: Arthur Goes
Halfs: Paulo e Albano
LINHA DE ATAQUE
Centre-Forward (Capitain): Antonio Assumpção
Forwards: LauroSanta CruzAgenor e Antonio.

Referee (juiz do jogo): dr. Jacintho Medeiros Filho
Juízes de Goal: Henrique da Cunha Rodrigues e Virgílio Cabral Leite
Juízes de Linha: drs. Valente de Lima e Valente Riqueiro.

South America Foot Ball Team e o Brasil Foot Ball Club, de Maceió

Desse clube sabe-se que na tarde do domingo, 6 de março de 1910, foi derrotado pelo Republicano por 2 x 0. O Gutenberg, que noticiou o evento, destacou que “A concorrência foi diminuta”.

No domingo seguinte, 13 março de 1910, os dois teams voltaram a se enfrentar no ground do Jacutinga. Houve empate. O mesmo jornal observou a torcida: “A concorrência foi regular, notando-se a presença de muitas senhoritas”. Compareceu a banda marcial da Polícia, alimentando a tradição da presença da música nos jogos de futebol, que permanece nos dias atuais com as charangas.

Uma nota publicada no Gutenberg, de 15 de junho de 1910, revela as dificuldades que os dirigentes do nascente futebol tinham para colocar suas equipes em campo. O secretário interino do South AmericaJoão Figueiredo, convidava “os sócios desse team e aos snrs. que conheçam algo de foot-ball ou mesmo por completo desconheçam este sport, que queiram lançar fundamentos a um novo Club nesta capital, para reunirem-se na rua do Comércio, nº 68 – Sobrado, às 5 horas da tarde de hoje, a fim de se tratar das medidas urgentes e do desafio que dever-se-á fazer ao Republicano Foot Ball Club para seu match domingo próximo”.

As medidas urgentes foram tornadas públicas no dia seguinte, quando um ofício foi endereçado aos jornais com o seguinte teor:

“Tenho a honra de comunicar a V. S. que conforme for anunciado, reuniram-se os jogadores que formavam o South American Football Team e deliberaram organizar um novo clube que se denominou Brasil.

diretoria aclamada e empossada foi assim formada:

Presidente, dr. Severino Alves; Vice-presidente, dr. Manuel Machado; Secretário, João Figueiredo; Tesoureiro, Euclides Malta Filho; Capitain Geral, José Alves Filho.

A Comissão Fiscal e de Sindicância ficou organizada: Pedro RochaSá Carneiro e Noly Bandeira”.

No dia 18 de junho de 1910, o Gutenberg anunciava que no dia seguinte seria realizado um “match entre este novo club e o Republicano no novo ground situado à praça do quartel de polícia. Haverá música e importantes surpresas”.

Os teams foram assim escalados:

“Brasil Foot Ball Club, J. Figueiredo, Euclides, Izaac, P. Cansanção, dr. S. Alves, P. Rocha, S. Carneiro, J. Alves, J. Clímaco, Nely, S. Leite, A. Asumpção, M. Porto, Julio, Alceu, Liberalino, A. Goes, Leonel, Agenor, C. Guimarães, M. Castro. Republicano Foot Ball Club” (Gutenberg de 19 de junho de 1910).

O jogo terminou empatado e a “concorrência foi numerosa”.

Em 17 de julho de 1910, às 16h, novo match foi realizado entre os mesmos clubs no ground da Praça do Quartel (Cadeia). O Gutenberg assim definiu os contendores: “Os Clubs em desafio são o novo e valente “Brasil” e o invencível Republicano”.

Bola de futebol de 1930

Club de Regatas Brasil

Foi fundado no dia 20 de setembro de 1912 em assembleia realizada na Rua Jasmim, Pajuçara, em Maceió.

lema da agremiação era: Esporte pela Pátria Forte. A ata de fundação foi assinada por Lafayette Pacheco, Antônio Vianna de Souza, João Lins de Albuquerque Uchôa, Waldomiro Serva, Pedro Claudino Duarte, Tenente Durval Julião, Agostinho Monteiro de Oliveira, Francisco de Azevedo Bahia e João Vianna de Souza.

Era então um club voltado para os esportes náuticos e que surgiu a partir de uma dissidência do Club Alagoano de Regatas, criado em 14 de agosto de 1910.

Somente em 1916 foi que o foot-ball passou a ser praticado no Club. Os irmãos Lauro Bahia GondimJosé Leite Gondim e Abelardo Duarte Gondim foram os responsáveis pela adoção dessa modalidade esportiva. O CRB era então dirigido por Homero Viegas.

Em busca de um espaço para a realização das partidas de futebol nos finais de semana, o clube arrendou um terreno de propriedade de Maria Torres por trezentos mil réis. Essa área, anos depois, passou a ser o Estádio Severiano Gomes Filho.

Time do CRB no final da década de 1910

Em novembro de 1917, sob a presidência de Pedro Lima, teve início a construção do campo de futebol do CRB. O terreno impróprio dificultou o plantio da grama, mas em pouco tempo isso foi resolvido e ali foram jogadas as primeiras partidas de futebol. Em 1921, após a aquisição do terreno, começou a ser construído o Estádio.

cerca que separava o campo de futebol da torcida foi erguida e inaugurada no dia 12 de junho de 1921 com uma partida contra o Ypiranga. O primeiro lance de arquibancada foi inaugurado no dia 7 de setembro de 1921 em jogo contra o Centro Sportivo de Peres, de Recife.

Nos primeiros anos, o futebol do CRB contava com Haroldo Zagalo, pai do tetracampeão mundial Mário Jorge Lobo Zagallo. O time tinha outros bons jogadores, entre eles um alemão extremamente habilidoso chamado PeterLauro Bahia e os irmãos Gondim também se destacavam.

(Mais informações sobre o Clube de Regatas Brasil AQUI)

Centro Sportivo Sete de Setembro, o futuro CSA

Centro Sportivo Sete de Setembro foi instituído no dia 7 de setembro de 1913 por desportistas liderados por Jonas de Oliveira. Segundo Renato Sampaio em seu livro A Margem do Futebol, a ata de fundação recebeu a assinatura dos seguintes sócios:

Antenor Barbosa Reis, Avenor Dantas, Agerson Dantas, Pedro Soares Machado, Nestor Machado, Waldomiro Machado, Djalma Machado, Pedro Lobão, Alfeu Cavalcanti, João Rosas, João Alfredo do Rego Monteiro, Jeferson Araújo, Arlindo Costa, Antônio Valente, Eduardo Goulart, Francisco Rocha Filho, Arthur Tavares da Costa, José Farias, Luiz Farias, Davino Ataíde, José Fontan, Odilon Cabral, Pedro A. Rocha e Rubens Fídias.

Nesta relação de Renato Sampaio não estão Jonas de Oliveira, Osorio Gatto, Eutiquio Gomes Filho, Francisco Rocha Cavalcante Filho, Arestides Ataíde de Oliveira, Antonio Miguel de Oliveira e Vicente Grossi, também fundadores do clube.

A assembleia de fundação aconteceu na sede da Sociedade Perseverança e Auxílio dos Empregados do Comércio de Maceió, quando ainda funcionava no palacete do Barão de Jaraguá, e a associação recebeu inicialmente a denominação de Centro Sportivo Sete de Setembro, em homenagem a sua data de sua criação. A sede era na própria Sociedade Perseverança.

primeira partida de futebol dos azulinos aconteceu no dia 7 de setembro de 1914, quando enfrentou estudantes alagoanos, vindos de Recife, no largo em frente ao Quartel da Polícia Militar, a Praça da Cadeia. Venceu por 3 a 0.

Os estudantes jogaram de branco e ganharam o apelido de “noivinhos”. Entre eles estavam Aloísio Goulart, Alderico Goulart, Eduardo Goulart, João Azevedo e Milton Ramires.

O clube enfrentou dificuldades e ficou inativo por alguns meses, mas graças a mobilização de “moços do comércio” foi reorganizado, com “espírito de continuidade”, e passou a ter o nome de Centro Sportivo José Floriano Peixoto, como noticiou o Diário de Pernambuco de 8 de abril de 1914.

José Floriano Peixoto era um atleta alagoano de destaque nacional. Os jornais da época também registravam Centro Sportivo José Floriano ou J. Floriano Peixoto.

Time do CSA que jogou contra o CRB em 8 de outubro de 1922

Foi a diretoria do Floriano Peixoto que conseguiu construir o primeiro campo de futebol do clube, que foi inaugurado na tarde do dia 7 de setembro de 1916, na Praça Jonas Montenegro, atual Praça do Centenário. No final daquela década, a sede do CSA ficava no Mutange, na Chácara Wucherer, de Alfred Willams Armstrong Wucherer, gerente da Fábrica Cachoeira em Rio Largo.

A partir de 15 de novembro de 1922, o clube abandonou seu primeiro campo de futebol para realizar suas partidas no Mutange, na antiga Chácara Wucherer, já uma propriedade de Aristheu Teixeira Basto, que também foi presidente do clube.

No dia 13 de abril de 1918, o time alterou pela última vez a sua razão social e foi rebatizado, em assembleia geral, com o nome que permanece atualmente: Centro Sportivo Alagoano.

(Mais informações sobre o Centro Sportivo Alagoano AQUI)

Brasil Foot Ball Club, o segundo

Em 1916 surgiu em Maceió um novo Brasil Foot Ball Club. Usava as cores preto e branco.

Diário do Povo de 25 de novembro de 1917 informa que ocorreu no ground do Centro Sportivo Eneas Campello um match dos segundos times do Eneas Campello e do Brasil Foot Ball Club:

Eneas Campello: Antonio 1, Buarque, Hyppolito, Veronja, João Luiz, Raymundo Santos, Valente, Antonio 2 e Malta Pereira.

Juiz de Linha: Félix Lima Júnior.

Brasil: Baena, Carvalho, Moacyr, Waldomiro, Durval, Salustiano II, Sizenando, Rodrigues, J. Sonto, J. Paulo e Aparício.

Referee: Salustiano Correia.

No dia 2 de dezembro de 1917, pelo mesmo jornal, sabe-se que houve um amistoso entre o 1º e o 2º team do Brasil Foot Ball Club em comemoração ao seu primeiro aniversário de fundação

1º Team: Raphael, Osny, J. Bittencourt, Conde, C. Doria, Waldomiro, Salustiano (1º), Tunico, Julio Pitotinha, Archimedes.

2º Team: Baena, Elefante, Camelo, Palito, Durval, Sanum, Molengo, Minas Gerais, Julinho, Baiá e Carioca.

América Foot-ball Club

Não foi possível identificar a data de sua fundação, mas em 22 de setembro de 1916 o Diário do Povo anunciava que reinava “grande entusiasmo entre os sportmem do América Futebol Club para o interessante match que terá lugar no dia 1º de outubro, no ground do alto Jacutinga”, contra o Centro Sportivo José Floriano.

A nota da diretoria convidava “os jogadores que têm de tomar parte na grande prova sportiva, para comparecerem no próximo domingo à rua Conselheiro Saraiva (Av. da Paz), nº 29, às 6h30 em Jaraguá para um ensaio”.

Ypiranga Foot-Ball Club

Citado pelo Diário do Povo de 5 de novembro de 1916. Esse periódico informou que “às 15h do dia seguinte haveria um match entre o Ypiranga Foot-Ball Club e o Alagoano Foot-Ball Club no ground cedido pelo Centro Sportivo (Alto do Jacutinga).

No dia 28 de janeiro de 1917, o Ypiranga empatou com o Club de Regatas Brasil em 1 x 1, num jogo realizado na Pajuçara.

Em junho de 1917, o Ypiranga Foot-ball Club era tratado como uma equipe forte. Em 14 de setembro deste ano tinha como presidente Luiz PereiraHeterodoto Cavalcante era o 1º secretário e Mauro de Paiva o 2º.

Ypiranga jogou contra o Alagoano Foot-Ball Club novamente em 17 de junho de 1917, no campo do Alto do Farol. O árbitro foi J. Fontan e a partida terminou empatada em 1 x 1.

Pelo Diário do Povo de 18 de novembro de 1917 sabe-se que houve naquela data um match entre o Ypiranga e o Athletico na Praça da Cadeia, “sendo oferecidos às senhoras presentes sabonetes finíssimos da conceituada Fábrica de Loureiro Barboza & Cia e disputada a valiosa taça, oferta dos referidos comerciantes”.

Fábrica de sabão e sabonete da firma Loureiro Barboza & Cia no início da Pajuçara, incentivadora do foot-ball alagoano nos primeiros anos

Em agosto de 1920 foi eleita sua diretoria: presidente de honra, coronel Alexandre Nobre; presidente efetivo, Félix Lima Júnior; vice-presidente, José Bugarim; 1º secretário, Joaquim Ramalho de Castro; 2º secretário, Germino Mattos; tesoureiro, Elysio Marques; vice-tesoureiro, Jaime Dias da Rocha; orador oficial, dr. Baltazar Mendonça; diretor de esportes, Araripe de Carvalho, vice-diretor de esportes, Odulpho Thomaz; comissão fiscal, Oscar BeloJúlio Lessa e J. Costa.

Em abril de 1921 há o registro de uma vitória (2×1) do Ypiranga sobre o CRB na Pajuçara.

O dentista Euclides Malta Filho era o presidente do Ypiranga Foot Ball Club em 1923.

Bebedouro Foot-Ball Club

Essa pesquisa encontrou uma única referência ao Bebedouro Foot-Ball Club nos jornais da época. Em 12 de agosto de 1917, o Diário do Povo publicou que “no campo do Bebedouro Foot-Ball Club realiza-se hoje às 15 horas um training entre o referido Club e o Ypiranga”.

Fernão Velho Foot-ball Club

Foi citado no Diário do Povo de 15 de novembro de 1916 por ter o seu presidente Augusto reconhecido como experiente jogador do Centro Sportivo José Floriano Peixoto, com muitas vitórias nos clubs de Pernambuco.

Voltou a ser notícia em 30 de janeiro de 1917, quando o mesmo jornal divulgou que o Fernão Velho havia enfrentado, dois dias antes, o  team do Centro Sportivo J. Floriano no Jacutinga e que havia sido derrotado pelo score de 2 x 1.

Centro Sportivo Eneas Campello

Diário do Povo de 22 de dezembro de 1916 anunciou que haveria foot-ball “depois de amanhã, domingo, no campo da praça Ângelo Neto, antiga da Cadeia, promovida pelos jogadores da sociedade Centro Sportivo Eneas Campello e Maceioense Foot Ball Club, haverá a última luta do corrente ano, para a qual, a fim de revestir-se de brilho e animação, os associados rogam comparência das exmas. famílias partidárias. As cores dos grupos de jogadores serão: Verde claro – branco (Maceioense) e preto-branco (E. Campello).

No dia 8 de dezembro de 1917, o Eneas Campello enfrentou o Brasil Foot Ball Club na Praça Jonas Montenegro, Alto do Jacutinga. O Diário do Povo divulgou as equipes:

Eneas: Enéas, Antonio, Buarque (capitão), Hypolito, Veranio, Índio, João, Santos, Antonio, Malta, Pereira e Jelito.

Brasil: Baena, João, Moacyr, Waldomiro, Salustiano, Durval, Bacorinho, Rodrigo, Souto, Pança e Aparecido.

Quartel da Polícia Militar e Praça da Cadeia, onde foram realizadas inúmeras partidas de futebol. Foto do acervo de Alípio Ribeiro cedida por sua filha Cleusa Ribeiro

Maceioense Foot Ball Club

Não se sabe a data da sua fundação, mas no dia 21 de maio de 1917 fundiu-se com o Alagoano Foot Ball Club fazendo surgir o Alagoano Sport Club.

Dois meses antes, na tarde de 18 de março de 1917, jogou contra o Brasil no ground do Alto do Farol. As équipes foram assim constituídas: “Brasil — Raphael, Garedd, Macieira, Scavon, Carlos, Julio, Tonico, Vicente, Rondoman e Alves. Maceioense — Sizenando, Azarias, Angelo, Matos, Carvalho, Renato, Octavio, Otacílio, Agenor, Azevedo e Sampaio’.

Apollo Foot Ball Club, de Fernão Velho

No dia 2 de dezembro de 1917, o Diário do Povo divulgava que a equipe da Associação Athletica Alagoana foi a Fernão Velho para enfrentar o Apollo Foot Ball Club.

Associação foi assim escalada: Marinheiro, Pindo, Apollonio, Serafim, , Americano, Abelardo, Marreta, Leão, Ventura e Astério.

Lage Foot-Ball Club

Foi fundado em 7 de setembro de 1917 em São José da Laje (Lage na grafia antiga). Lideraram a formação desse clube os jovens Jayme Dias da Rocha, Alcides Leão, Oswaldo Pino e Reynaldo Gama.

Associação Athletica Alagoana

Como era comum à época, a Associação Athletica Alagoana também promovia jogos entre suas divisões. Assim, no dia 2 de setembro de 1917, o Diário do Povo noticiou:

“Haverá hoje às 15h30 um match entre duas divisões da Associação Atlética Alagoana, na praça dr. José Ângelo (Cadeia). As equipes, que estão com forças equilibradas, ficam com as denominações de Paulista e Carioca.

Team Paulista: Miguel, Leão, Vieira, Orlando, Guanabara, Carlindo, Negão, Godoy, Spartaco, Asterio e Maia.

Team Carioca: Godin, Gallo, Jós, Leandro, Álvaro, A. Mário, Ventura, Bulhões, Júlio, Carapuça, Angelo.

RefeereAristeu Lemos”.

No dia 25 de novembro de 1917, as divisões São Paulo (não mais Paulista) e Carioca desse mesmo clube se enfrentaram novamente no mesmo local, às 15 horas, tendo como referee Apolônio Vieira.

Team Carioca: Marinheiro, Negão, Jós, Caruso, Godoy – Carlito, Bulhões, Torpedo, Deca, Marreta e Hillo.

Team São Paulo: Osso, Pindo, Americano, Barroso, Piralello, C. Preto, Ventura, Maciel, Pittinha, Leandro e Pernambuco.

Club de Foot-ball Santa Cruz, de Maceió

No dia 6 de janeiro de 1917, o Diário do Povo publicou: “inaugura-se hoje às 16:00, a rua do Macena, nº 58, o Club de Foot-ball Santa Cruz, cuja diretoria teve a fineza, que agradecemos, de enviar-nos um convite para essa festa”.

Santa Cruz Football Club, de Penedo

Foi fundado em 16 de setembro de 1917, por iniciativa do industrial português Zeca Peixoto, que pretendia polarizar o futebol ribeirinho com o Sport Club Penedense, então liderado por seu irmão Fernando Peixoto.

A oposição entre os dois históricos clubes de Penedo se dá até nas cores: o Santa Cruz utiliza o azul e branco e o Penedense vermelho e branco.

Santa Cruz de Penedo em 25 de fevereiro de 192

Alexandria Futebol Club

Enfrentou o CSA no dia 31 de outubro de 1920, em jogo amistoso. Não confundir com o Esporte Clube Alexandria, que foi fundado em 21 de novembro de 1935 pela Fábrica Alexandria, uma industrial têxtil localizada no bairro do Bom Parto em Maceió. Esse Alexandria disputou o campeonato da primeira divisão em 1937 e em 1947 foi campeão estadual. Encerrou suas atividades no final do campeonato de 1954.

Comercio Foot-Ball Club, de Viçosa

No dia 22 de novembro de 1920, o Brasil Foot-Ball Club, de Maceió, foi a Viçosa disputar partida amistosa contra o Comercio Foot-Ball Club, um combinado, “formado por todos os clubes da cidade” (Vida Sportiva – RJ). Não confundir com o Futebol Clube Comercial de Viçosa, fundado em 6 de junho de 1965 com o nome de Comercial Futebol Clube.

Sport Club Barroso

Foi fundado em 11 de junho de 1921, em Maceió, e homenageava o português Francisco Manuel Barroso da Silva, o Almirante Barroso, que se consagrou ao liderar a Armada Imperial Brasileira na Guerra do Paraguai.

Foi o vice-campeão alagoano em 1947. Existiu até 1951.

Sport Club Pilarense

Em 1923 estava em atividade. Do Pilar. Provavelmente ligado à Companhia Pilarense de Fiação e Tecidos.

Ipanema Sport Club

Fundado em 5 de maio de 1923 em Santana do Ipanema, anos depois alterou sua denominação para Ipanema Atlético Clube. Continua em atividade.

Flamengo Futebol Clube

Sem informações sobre sua história, mas sabe-se que disputou o primeiro campeonato alagoano, em 1927, e o segundo, em 1928. De Maceió.

Sport Club Uruguai

Sem informações sobre sua história, mas sabe-se que disputou os campeonatos alagoanos de 1927 a 1937. De Maceió.

Sport Club Vera Cruz

Sem informações sobre sua história, mas sabe-se que disputou os campeonatos de 19271928 e 1929, quando se sagrou vice-campeão do “Alagoano”. De Maceió. Nos anos de 1950 ainda estava em atividade.

Vera Cruz de Maceió, com Hélio Miranda no centro entre os agachados, no Mutange, década de 1950. Foto do acervo de José Bilu

Tiradentes Sport Club

Sem informações sobre sua história, mas sabe-se que disputou o primeiro campeonato alagoano em 1927 e o segundo, em 1928. De Maceió

Floriano Peixoto Sport Club

Sem informações sobre sua história. De Maceió.

Sport Club Bom Jesus

Foi fundado em 1º de janeiro de 1928 em Matriz de Camaragibe.

Sport Club São Cristóvão

Filiou-se à Coligação Esportiva de Alagoas para disputar o terceiro campeonato alagoano no início de 1929. Participou também da mesma competição em 1930.

Vasco da Gama Sport Club

Filiou-se à Coligação Esportiva de Alagoas para disputar o terceiro campeonato alagoano no início de 1929. Existiu até 1941. De Maceió.

Municipal Sport Club

Foi fundada em 1º de abril de 1923 e sua primeira diretoria ficou assim composta: presidente de honra, dr. Ernandi Teixeira Basto; vice-presidente de honra, dr. Alfredo de Barros Lima Júnior; presidente efetivo, Augusto da Silva Antunes; vice-presidente efetivo, Jonas Vieira de Oliveira; 1º secretário, José Cardoso Marques; 2º secretário, João de Barros Pimentel; tesoureiro, Octávio Pau-ferro; arquivista de Desportos Terrestres, Oscar Calheiros; comissão de sindicância — Euclydes Cardoso GomesJaime Amorim e Gabino Souza.

No início de 1929, filiou-se à Coligação Esportiva de Alagoas para disputar o terceiro campeonato alagoano. Participou também da mesma competição em 1930. De Maceió.

O consagrado maestro alagoano Heckel Tavares (foto de 1931) foi “um pouco treinado” goleiro do CRB em 1916

Desempenho dos primeiros atletas

Ao anunciar o match entre Club de Regatas Brasil e o Centro Sportivo José Floriano Peixoto para o dia 15 de novembro de 1916, o jornalista do Diário do Povo relacionou as equipes e avaliou o desempenho de cada um dos seus jogadores, destacando suas qualidades e deficiências.

Os atletas do Clube de Regatas Brasil foram assim aferidos:

Hoeckel – defende o gol do seu club; está pouco treinado e é novíssimo. [Hoekel era o futuro músico Heckel Tavares, natural de Satuba].

Gondim – Center Back é prometedor.

Homero – Corajoso, forte e ágil. Com Godim defende a linha de back.

Vianna – A primeira vez que joga em match; é ligeiro atrapalha um pouco o seu fronteiro.

Raymundo – jogador regular.

Quintella – é destemido; com Vianna e Raymundo ele forma a linha de half back.

Aroldo – jogou em colégios na Inglaterra; é ótimo jogador.

Peter – Tem alguma prática de foot-ball; nele e em Aroldo está concentrada a força do team.

Calheiros – Foot-ball regular; está pouco treinado.

Leite – Tem algum jogo; está fraco e com pouco treino.

Oscar – jogador que ainda não se recomenda, como HoeckelGondimHomero e Quintella tem apenas quatro meses de foot-ball e não obstante são todos jogadores de muita promessa e entusiastas.

Os jogadores do Centro Sportivo José Floriano Peixoto, futuro CSA, também foram criticados:

Hermes Loureiro – Ocupa o lugar de keeper e é exímio nesse posto, jogou em diversos clubs do Recife.

Vianna – Jogador de muitos anos; jogava no Rio de Janeiro pelo Botafogo no 2º team e na reserva do 1º.

Grossi – Back de confiança, vista a sua longa prática; como companheiro de Vianna, é infalível na sua posição.

Davino – Jogador feito no Centro; tem três anos, mais ou menos, como foot-baller, e é admirável.

Faria – Invencível Half com bastante training!

Alípio – Bom jogador; com L. Faria e Davino forma a inquebrantável linha de half back.

Fontan – Joga admiravelmente; usou do foot-ball por muitos anos na Espanha.

Augusto – Excelente foot-baller com muitas vitórias nos clubs de Pernambuco; atualmente é presidente do Fernão Velho Foot-ball Club.

Arestides (Grillo) – A sua idade como foot-baller é igual à de Davino; meia estrema de valor.

Maria – O seu jogo é seguro e dribla de modo espantoso.

Victor – Jogador incomparável; centra bem e com os seus companheiros de ataque é de prever que traga a vitória para o seu clube. Joga em diversas sociedades do Recife.

Após a partida, o jornalista informou que o Centro Sportivo José Floriano havia vencido o Club de Regatas Brasil por 2 x 0 e avaliou as razões da vitória:

“O Centro Sportivo, mais treinado, mais conhecedor da arte de jogar, fez logo frente ao adversário que resistiu à medida das suas forças.

Em pouco tempo conseguiu o team do Centro fazer um goal, o que muito concorreu para o desânimo do time do Brasil

No segundo tempo, o Centro, após bem feitos passes, levou novamente a bola até o goal do Brasil, que, tendo um inseguro goal keeper, não opôs a devida resistência

Do Centro Sportivo, jogaram todos bem, salientando-se entre todos os senhores NarcisoFontan Vianna, sendo que este último é um jogador exímio.

Do Brasil lutaram galhardamente os senhores AroldoQuintelaHomero e Virgílio, nada conseguindo porém fazer, devido à força do time contrário.

Os partidários do Centro Sportivo em avultado número, fizeram entusiástica manifestação ao team vencedor, percorrendo todo o ground, conduzindo várias senhoritas entusiastas o estandarte do mesmo clube.

Também outro grupo seleto de senhorinhas saudou o Club Brasil, oferecendo ao Homero um lindo ramalhete de flores naturais.

O exmo. dr. Batista Acioly compareceu, acompanhado do dr. secretário do Interior.

Diário do Povo esteve representado pelo nosso querido companheiro dr. Armando G. Wucherer, que teve fidalga acolhida por parte dos dois clubs.

Tocou a banda do batalhão policial.

A assistência foi numerosa, mas o serviço de bondes foi infame.

Grande número de famílias voltou a pé.

Felicitamos aos moços do Centro Sportivo José Floriano Peixoto pela vitória de quarta-feira”.

Liga Alagoana de Desportos

Foi fundada em 2 de maio de 1920, mas teve vida curta por causa dos desentendimentos entre os dirigentes dos clubes, que não eram seguidores das próprias regras. Foi presidida inicialmente por Alfredo Wucherer.

A diretoria tomou posse no sábado, dia 13 de junho às 19 horas, no Teatro Deodoro. Era constituída por seis clubes.

Antes existiu uma Liga Alagoana de Desportos Terrestres, cujo presidente, José Maria Cardoso, faleceu em fevereiro de 1919. Em 1920 ainda estava em funcionamento, mas com a saída do CSA, desestruturou-se.

Na noite de 14 de janeiro de 1921, em sua sede à Praça D. Pedro II, foi eleita a nova diretoria da Liga Alagoana de Desportos. Ficou assim: presidente, Jaime d’Altavilla (reeleito); vice-presidente, coronel Antônio de Souza Almeida (reeleito); 1º secretário, Félix Lima Júnior (reeleito); 2º secretário, Oscar Bello (reeleito); 3º secretário, Salustiano Eusébio de Barros; tesoureiro, Moysés Santa Maria (reeleito); vice-tesoureiro, José Pio dos Santos; orador, Auryno Maciel.

Em 1921, a Liga viveu uma crise e paralisou suas atividades. O Coronel Ezequiel Pereira, do CRB, propôs então que Alfredo Wucherer, do CSA, tendo ele como vice, reorganizassem a entidade. Assim aconteceu em 1º de novembro. Em fevereiro de 1922, essa Liga chegou a ser aceita como filiada à Confederação Brasileira de Desportos. Lamentavelmente, os problemas continuaram e novamente a Liga deixou de funcionar.

Foi assim que, em 1922, no vácuo institucional do futebol alagoano, o CRB propôs a realização do Torneio do Centenário, entre 7 e 20 de setembro. Envolveu os seguintes clubes: Centro Sportivo AlagoanoSport Clube BarrosoSociedade Sportiva Eleven Nacional e Clube de Regatas Brasil, de Maceió, De Penedo vieram o Sport Club Penedense e o Santa Cruz Foot-Baal Club, o campeão.

Em março de 1924, um grupo de dirigentes cogitava a reorganização da Liga Alagoana de Desportos Terrestres para que fosse realizado o campeonato alagoano de futebol. Não prosperou.

Otacílio Maia foi jogador do CRB e primeiro presidente da Coligação Esportiva de Alagoas (CEA)

Coligação Esportiva de Alagoas

Foi criada em 14 de março de 1927 pelos seguintes clubes: Centro Sportivo Alagoano, Clube de Regatas Brasil, Vera Cruz, Tiradentes, Flamengo, Uruguai e Barroso. Seu primeiro presidente foi Otacílio Maia (1927/28), seguido por Eduardo de Magalhães Silveira (1928/29 e 1929/30).

Atravessou várias crises. A primeira delas terminou por bagunçar o primeiro campeonato alagoano em 1927. No ano seguinte, os problemas envolveram a participação da Seleção Alagoana no VI Campeonato Brasileiro de Foot-Ball e atletas do CRB.

Um jogador do CRB, não selecionado, acompanhou a delegação até Salvador e lá cobrou receber diárias iguais aos convocados. Seus colegas de clube o apoiaram e ameaçaram abandonar o time e voltar a Maceió se não fossem atendidos.

Eduardo de Magalhães Silveira cedeu, mas o ambiente ficou muito ruim. Resultado: no domingo, 21 de outubro de 1928, a seleção baiana goleou a alagoana por 11 x 0.

Na volta, o CRB foi afastado do campeonato, mas no dia 11 de novembro entrou em campo contra o Ypiranga, desrespeitando a punição. No dia 18, voltou a campo contra o Vera Cruz. Faltando dois minutos para o fim do jogo, que estava em 0 x 0, o CRB se retirou do gramado alegando que o juiz não marcara um penalty ao seu favor. O Vera Cruz permaneceu em campo e ganhou os pontos. O clube da Pajuçara, sabendo que não teria mais chances de ser o campeão, se fastou do torneio.

Na escolha da diretoria do CEA, Eduardo de Magalhães foi reeleito com cinco votos dos oito participantes da assembleia. O CRB então pediu desfiliação, acompanhado pelo Uruguay e Floriano.

Em compensação, houve a filiação do MunicipalVasco da Gama e São Christovão.

Coligação Esportiva de Alagoas foi também presidida por Lauro de Araújo Jorge (1930/31), Edgar de Góes Monteiro (1932) e Guy Mariz, presidente da Diretoria Provisória, (1933).

Federação Alagoana de Desportos

FAD surgiu quando o CEA alterou sua denominação, em 15 de março de 1934. O primeiro presidente desta fase foi Ulisses Cerqueira.

Federação Alagoana de Futebol

Nova alteração de nome em 14 de fevereiro de 1991. Sob a presidência de Waldemar Correia, a FAD passou a se chamar Federação Alagoana de Futebol.

Time de futebol alagoano no Mutange na década de 1920. Foto de Antenor Pitanga

Primeiro Campeonato Alagoano

primeira competição oficial do futebol alagoano foi aberta no dia 15 de abril de 1927 com o Torneio Início, uma espécie de apresentação dos clubes em partidas com o tempo reduzido. O CSA foi o vencedor.

No dia 24 de abril aconteceu a partida de abertura, com o Barroso derrotando o Uruguai por 2 x 1.

Previsto para dois turnos, esse campeonato quase que não concluiu o primeiro turno. No dia 7 de agosto, o Uruguai abandonou a partida quando enfrentava o CRB. Dias depois o Flamengo também não apareceu para o jogo contra o CRB e nem contra o Tiradentes.

desentendimento entre os clubes era com a arbitragem e com a tabela, ou com qualquer incidente que prejudicasse suas cores.

Após um acordo, ficou estabelecido que o campeão do primeiro turno seria o vencedor do campeonato de 1927. O CRB somou 12 pontos e recebeu a taça após derrotar o Barroso por 6 x 0 no dia 11 de setembro. Já havia garantido o título no jogo anterior (4 de setembro) ao vencer o CSA (segundo colocado com 10 pontos) por 2 x 0.

Jogos do Primeiro Campeonato Alagoano de Futebol (1927)

24/04/1927 – Barroso 2 x 1 Uruguai
01/05/1927 – Vera Cruz 1 x 4 CRB
08/05/1927 – Vera Cruz 0 x 5 CSA
2/05/1927 – Tiradentes 2 x 2 Uruguai
29/05/1927 – Flamengo-AL 1 x 1 Uruguai
05/06/1927 – CSA 3 x 0 Barroso
12/06/1927 – Vera Cruz 5 x 3 Flamengo-AL
19/06/1927 – CSA 6 x 0 Uruguai
24/06/1927 – CRB 8 x 0 Tiradentes
26/06/1927 – CSA 10 x 1 Flamengo-AL
03/07/1927 – Barroso 1 x 0 Flamengo
17/07/1927 – Tiradentes 1 x 0 Barroso
24/07/1927 – Vera Cruz 2 x 1 Tiradentes
31/07/1927 – CSA 11 x 0 Tiradentes
07/08/1927- Uruguai 0 x 0 CRB* (*Ganhou os pontos)
21/08/1927 -Barroso 0 x 2 Vera Cruz
28/08/1927 – Vera Cruz 3 x 1 Uruguai
04/09/1927 – CSA 0 x 2 CRB
11/09/1927 – CRB 6 x 0 Barroso
CRB* wo Flamengo-AL (*Ganhou os pontos)
Tiradentes* wo Flamengo (*Ganhou os pontos)

Mais lidas

CPI da Braskem tem 35 dias para concluir investigação, que inclui visita aos bairros destruídos

Com o objetivo de investigar a responsabilidade jurídica e socioambiental da mineradora Braskem no

Sem declarar IR cidadão não pode sequer receber prêmio de loteria que, acumulada, hoje sorteia

O prazo para entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) em

Risco de morte após a febre chikungunya continua por até 84 dias, diz Fiocruz

Em meio à epidemia de dengue e ao aumento de casos por febre chikungunya, um

Saúde volta a alertar alagoanos sobre medidas de prevenção contra a dengue

A Secretaria de Estado de Alagoas (Sesau) volta a alertar a população alagoana sobre

PF indicia filho de Bolsonaro por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal em Brasília indiciou Jair Renan Bolsonaro, filho do ex-presidente Bolsonaro, pelos

FAEC anuncia calendário anual de eventos esportivos para o público escolar

A Federação Alagoana de Esportes Colegiais (FAEC) anunciou o calendário anual de eventos para

Bar do Doquinha: o lar enluarado da boemia

Por Stanley de Carvalho* Há 60 anos, quando os portões de Brasília começaram a

Seduc anuncia processo seletivo para a Educação Especial

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) divulgou no último dia 6, no Suplemento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *