segunda-feira 15 de julho de 2024

Nos estádios de futebol brasileiro, os cânticos já não são mais de festas.

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota

www.gazetaesportiva.com . Foto: STR/AFP

Os cânticos já não são mais de festas, hoje é a pregação da violência, pura e simples! Perigosos cânticos, traduz o que somos de um modo geral, quando pregamos vinganças, nem que sejam divinas.

Hoje em dia, é risco de vida ir a um estádio de futebol, banalizou-se as cantorias das porradas, da morte, do racismo, do pensamento misógino, homofóbicos. O que norteia as chamadas torcidas organizadas, a maioria delas, mesmo na maioria das vezes nem saibam o que representa as suas cantorias, são reproduções fascistas trazidas dos estádios europeus.

Inglaterra, foi o país que mais representou estas torcidas violentas, com os Hooligans, a maioria que formavam estas torcidas violentas, eram compostas de jovens operários, boa parte desempregados, que se juntavam nos estádios, para cantar e gritar contra estrangeiros, negros e contra o “sistema”!
Mas não podemos esquecer das torcidas holandesas e italianas, com os “tifoses”. Os ultras, que ficam atrás dos gols, vez por outra, ainda hoje, cantam o racismo em plenos pulmões. A torcida da Lázio, parte dela, se vangloria de ser fascista!

Estas cópias de “organizar” foram sendo introduzida em nosso país e por toda América Latina de maneira desigual, mas contínua!

Se no começo da década de 1980, as disputas entre estas Tos, no eixo Rio-São Paulo, já mostravam suas garras, com violências, espancamentos e mortes.

Aqui em Alagoas, por exemplo, vivíamos o período das charangas, com o mínimo de violência, diria até, esporádicas trocas de sopapos entre dois torcedores mais exaltados, amplificada pelo álcool consumido antes e durante uma partida de futebol.

Hoje se disseminou a ideia da violência, das invasões em treinos, agressões a jogadores, invasões no campo de jogo, enfim, fomos perdendo a inocência e de maneira geral, banalizamos as cantorias da pregação da morte de um suposto adversário, o incrível que todo estádio canta juntos, mesmo que em noventa por cento dos casos, os torcedores não fazem parte das Tos.

Mais lidas

Além da pressão dos aliados, JHC tem agora que enfrentar ação no MP por R$

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota Na busca para reeleger-se, o

Alagoas conta com Núcleos de Apoio ao Fumante em 13 municípios

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota Com o objetivo de ajudar

STF volta a julgar recurso de Collor para anular condenação por corrupção na Lava-Jato

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota O Supremo Tribunal Federal (STF)

Marielle: a quem se destina a terra?

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota Por Eliane Brum, do portal

CPI da Braskem tem 35 dias para concluir investigação, que inclui visita aos bairros destruídos

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota Com o objetivo de investigar

Sem declarar IR cidadão não pode sequer receber prêmio de loteria que, acumulada, hoje sorteia

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota O prazo para entrega da

Risco de morte após a febre chikungunya continua por até 84 dias, diz Fiocruz

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota Em meio à epidemia de dengue

Saúde volta a alertar alagoanos sobre medidas de prevenção contra a dengue

18 de agosto de 2023 9:02 por Nivaldo Mota A Secretaria de Estado de

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *