Nivaldo Mota

E A LIGA DE FUTEBOL, DARÁ CERTO?

 

 

 

 

E os clubes da Série A levantaram a bola, querendo eles mesmos cuidarem das coisas do futebol, cirando uma Liga, para gerir às séries A e B.

A ideia não é ruim, pelo contrário, quebraria com o poder das federações e da própria CBF, que lucram em cima dos clubes, entidades antidemocráticas, são um estorvo para o nosso futebol.

O grande problema da Liga é da confiabilidade, os nossos dirigentes dos clubes não são também confiáveis em sua maioria. Muitos deles envolvidos em caso de corrupção, outros afundaram os próprios clubes em crise financeiras insolúveis.

Outro problema da Liga, quando vemos estas movimentações, são as viradas de mesa, quando times que estão aí disputando a Série A, como o Fluminense, por exemplo, em 2000 era para ter disputado a Série C e foi alçado a uma tal Copa João Havelange, diante da bagunça do nosso futebol os maiores clubes resolveram salvar um dos seus sócios.

Lembremos que hoje estão a disputar a Série B, o Vasco, Botafogo e Cruzeiro, três pesos pesados, uma manobra de uma criação de uma Liga agora fica parecendo o velho golpe em querer começar do zero, de uma nova estruturação do nosso futebol, inventam um ranking qualquer e alçam os três para uma divisão principal, tudo é possível!

Mas repito, a ideia não é ruim, somente em quebrar a estrutura corrompidas e atrasadas, verdadeiros entulhos autoritários das federações e CBF, é algo que tem que ser louvado! No entanto a Liga tem que se impor como algo sério, sem deixar brechas para os torcedores brasileiros, que em sua ampla maioria quer apenas lisura nas coisas, sem esquemas!

 

 

 

Banner
Por Nivaldo Mota

CRB E CSA, DISPUTAM A SÉRIE B PARA SUBIR DE DIVISÃO OU QUEREM APENAS PERMANECER?

 

 

 

 

 

 

 

CRB e CSA disputam a Série B com intuito de subir para a Série A, pelo menos as declarações dos seus dirigentes e da grande maioria dos seus torcedores indicam isso, mas será que todos mesmo querem esta subida, dos dois?

Tem torcedores, dos dois times, que argumentam que não temos condições de estarmos na Série A, que não teríamos as condições estruturais para tal, embora respeite estes torcedores, discordo da posição, se disputa a Série B, tem que lutar para subir!

Eu sei, nós sabemos, quanto nossos dois clubes principais são mal administrados, vivemos de arroubos momentâneos de algum presidente com dinheiro, poder de mando neste estado tão paroquial, vira espécies de pessoas que inevitavelmente tem que estar como comandante destes clubes.

No fundo, o que sobrevive como caldo cultural disso tudo, dessas falsas administrações, que a primeira vista parece alavancar os clubes, são o mandonismo, falta de democracia, autoritarismo, enfim, se tornam donos dos clubes, privatizam de forma que não dá espaços para visões mais coletivas e democráticas.

Vide o caso como eles, nos dois clubes descumprem os estatutos, uma vergonha colossal. Só para citar dois exemplos recentes, o CSA acabou com suas divisões de base, o CRB pega camisas de dois anos atrás refugo e veste o pessoal dos aspirantes que disputam o brasileiro da categoria.

Mas apesar de tudo, creio que seja importante subir, mesmo que seja para trocar pneu com o carro andando, falo do aspecto administrativo, não podemos esperar que tudo esteja em ordem para que estes clubes subam e permaneçam na Série A.

O CSA demonstrou isso quando subiu, quase escapa do rebaixamento. Ano passado ficou em quinto na Série B e vacilou nas horas decisivas, mas brigou até o final. O CRB, diferente, surfou por muitos anos na Série B, como se fosse o ápice de sua trajetória.

E era naquele momentos a grande façanha em disputar a série B, defendendo o futebol alagoano. Mas de tanto em querer apenas ficar, em quase todas as disputas sempre lutou para não cair.

Ninguém entra numa competição para perder ou calculadamente neste caso em querer não subir, está errado quem pensa assim, é por isso que nosso futebol capenga, nós todos devemos ter orgulho dele, independente de seus dirigentes!

Banner
Por Nivaldo Mota

EM JOGO EM QUE FOI MELHOR, CRB PERDE DO GOIÁS! CSA SÓ EMPATA EM JOGO SOFRÍVEL CONTRA O GUARANI!

CRB e Goiás fizeram uma excelente partida, pena que o CRB não conseguiu ao menos um empate, era merecedor, até uma vitória Regatiana não seria nada exagerado, o placar de 1 x 0 para o Goiás foi injusto, mas é do futebol, bola pra frente!

Se o primeiro tempo foi todo dos dono da casa, principalmente porque o CRB jogou muito atrás, a segunda etapa foi toda do CRB, a conversa no intervalo foi boa com o treinador Allan Aal.

O grande problema Regatiano está no miolo da zaga, como também a lateral esquerda, Romão apoia bem, mas não tem senso de marcação, ontem foi mais um gol tomado de cabeça.

O CRB tem um bom ataque, aliás, o melhor da Série B até aqui, com nove gols feitos em quatro rodadas, mas em compensação tem a pior defesa, com oito gols tomados, tem que resolver com urgência o setor defensivo do Galo de Campina.

Já o CSA fez outro jogo abaixo da crítica, o time azulino é ainda um amontoado em campo, sem um padrão definido. A partida com o Guarani foi sofrível, o empate foi o mais justo, se a direção azulina demorar muito com contratações, pode ser tarde demais!

No geral, estamos apenas na quarta rodada, mas competição de pontos corridos todo jogo é decisivo, somar pontos sempre é importante, portanto na próxima rodada, os dois maiores de Alagoas tem que ir para ganhar, esta competição é muito parelha, não tem um super time, vamos que vamos!

Viva, o CRB jogou com a camisa número um, mas só jogou porque o Goiás jogou com a número um deles e não teve jeito!

Carpe diem, quam minimum credula postero!

 

Banner
Por Nivaldo Mota

Um dia, quem sabe, ainda vão vestir o CRB com azul!

 

 

Mesmo com o absurdo do título do artigo em voga, mas só falta isso mesmo para definir o desprezo que atual gestão comandada por Mário Marroquim tem com relação ao uniforme do CRB de número um.

Os torcedores, em sua grande maioria, pode achar isso tudo uma grande tolice, besteira do cronista, mas não é assim meus caros, uma camisa é a identidade de um clube, suas cores, seu padrão estabelecido desde sempre!

As adequações feitas ao longo de mais de um século na camisa Regatiana, alteraram aquela do princípio de sua fundação, antes era a branca com a listra vermelha e o nome do clube, CRB, bem no meio, onde hoje fica o escudo.

No futebol, o escudo sempre foi esse, algum tempo atrás se colocou na camisa o escudo do remo, esporte que fundou o CRB. Mas no geral, o padrão sempre foi o branco, listra vermelha horizontal e o escudo no meio, calções brancos e em determinados momentos os meiões foram pretos, depois se passou para o branco.

Bom, o problema é cultural e histórico, a meu ver as mudanças se deram mais por influências dos times que impressionavam pelo futebol e se tivesse a cor vermelha foi sendo copiado. Camisas iguais ao América do Rio de Janeiro, Náutico do Recife, Internacional, até da Croácia foi imitado por aqui, verdadeira papagaiada!

Por isso não seja surpresa um dia qualquer, chegar um presidente todo poderoso, supra sumo da alagoanidade e propor detalhes em azul na camisa do CRB, para mostrar sua devoção ao Estado de Alagoas e suas cores do seu pavilhão, vermelho, branco e azul.

E já foi possível isso, sabe aonde, no voleibol, não faz muito tempo, duas décadas atrás, o CRB firmou convênio com o Colégio Marista que é azul, eu vi com estes olhos aqui, no Colégio Sacramento, o time de voleibol chegando com a camisa branca, com golas e mangas em azul e o escudo do CRB em vermelho. Eu chamei a atenção na hora, que é isso, a resposta de um dos garotos, foi o mandatário maior do voleibol que quis assim!

Sim, o Toroca, quis, fez e faz o que quer, como se o voleibol do clube fosse seu, algo particular, e nem presidente, nem este Conselho que só serve para manobras eleitorais, fizeram nada!

Cuidado torcedor do CRB, exigir o cumprimento das coisas não é nada demais, é um direito seu, o clube não tem donos ou um dono, ele é a paixão de todos nós!

Concordo quando o pesquisador e historiador do futebol, Walter Luís, levanta a tese que tanto o CRB, quanto o CSA, ao longo dos tempos, tiveram donos, não presidentes, e que uma das premissas básicas era respeitar o estatuto do clube, não passar por cima dele!

O mais ridículo é o tal Conselho, guardião disso tudo, não opina, não faz nada, balança a cabeça como catenga para o mandatário de plantão. Aquela camisa que o CRB jogou contra o Confiança é uma das mais horrorosas de toda a sua história.

Não sei de quem parte a ideia em renegar seu uniforme vistoso, um dos mais bonitos do mundo, mas que todos na diretoria comungam, não a voz que discorde e se discorda deve ser tão escondido que ninguém viu ou ouviu um questionamento sequer.

 

Banner
Por Nivaldo Mota

CRB vence e entra no G-4, mas foi no sufoco!

 

 

 

 

Seguindo em boa fase, apesar de uma zaga vacilante e o lado esquerdo ser uma avenida, um convite para qualquer time que enfrente, o CRB venceu o Confiança e entrou no desejado G-4.

O placar de 3 x 2 mostra quantas alternativas tivemos, até meados do primeiro tempo, foi um jogo movimentado com quatro gols, com o CRB sendo melhor, depois o jogo caiu e o segundo tempo foi muito ruim, as duas equipes não conseguiam dar ritmo e a partida foi mais cadenciada.

O gol salvador do meia Dudu, que não vinha bem no jogo, garantiu a vitória do CRB, importantíssimo, em casa tem que fazer os três pontos e como nos acostumamos a ver porcaria em campo, temos sempre que valorizar qualquer vitória!

O nível cai a cada ano, um ou outro jogador ainda sabe jogar futebol, mas tem uma turma aí que vive de bons empresários, faz milagre por estar em campo, porque o nível é muito baixo, me desculpe a minha sinceridade, ou como dizem por aí, eu não devo entender bulhufas, mas tá duro de ver aquilo que nós chamamos de futebol.

Não é somente o CRB, tirando o Flamengo (bem acima dos outros hoje no Brasil), consumando aquela história da espanholização de nosso futebol, talvez mais uns dois times em nosso país ainda jogue futebol na essência da coisa, porque o restante, infelizmente, todos calçam o mesmo número, com um futebol onde impera a mediocridade coletiva!

Banner
Por Nivaldo Mota

COPA AMÉRICA SERÁ A CELEBRAÇÃO DA MORTE!

Copa América agora é insanidade, mas esta tem sido a marca deste governo genocida, eles não acreditam na vacina, não somente porque são negacionistas, mas para ganhar dinheiro com a hidroxicloroquina, comprada aos Estados Unidos com indícios de superfaturamentos.

O que CPI do Senado, acaba de descobrir, é que eles tinham o interesse em comprar insumos deste remédio que não tem nenhuma indicação de comprovação em eficácia contra a Covid-19, e entregaria a duas empresas de amigos do presidente, sem licitação para produzir o remédio e ganhar turras de dinheiro, o nosso dinheiro!

Pois bem, com a decisão em aceitar em trinta minutos a realização da Copa América no Brasil ( o (des)presidente recusou 113 e-mails da Pfizer para a vacina), o governo Bolsonaro zomba por completo do povo brasileiro, especialmente dos parentes das vítimas desta doença terrível.

Quando iniciarmos a Copa da Apologia a morte, infelizmente vamos estar batendo a casa dos 500 mil mortos, um absurdo sem tamanho, estas mortes podiam ter sido evitadas se tivéssemos um presidente que olhasse para a maioria da população, não apenas para os ricaços!

O argumento de que temos campeonatos em andamentos e por isso é possível realizar uma Copa América em nosso país é uma falácia, não existe parâmetros. Nenhum país da América do Sul aceitou realizar esta Copa funesta, nem o Uruguai, nem o Chile, por exemplo, que estão mais avançados em termos de vacinação.

Os campeonatos destes países e de todos os outros da América do Sul estão em pleno andamento, nem por isso quiseram bancar a Copa América, sabe do risco em aumentar o número de casos da doença.

Mas aqui não, como temos um governo da morte, que não está nem aí, que incentiva o não uso de máscaras, que mente sobre a doença, sobre as mortes, pior, tira onda com os doentes e mortos, eu não me surpreendo com nazistas, temos é nos indignar e ir as rua para exigir o fim deste governo!

Banner
Por Nivaldo Mota

CRB ELIMINA O PODEROSO PALMEIRAS EM JOGO INESQUECÍVEL E HISTÓRICO!

A vitória do CRB sobre o Palmeiras, no Alianz Parque, foi épica, histórica, monstruosa! Primeiro no tempo normal por 1 x 0, como tinha perdido aqui pelo mesmo placar, teve a necessidade dos tiros livres.

Aí entra em cena o goleiro do Galo de Campina, Diogo Silva, que no tempo normal já tinha pego tudo, nos tiros livres se consagra, defendendo três cobranças e ainda convertendo com maestria, foi para entrar na história do clube e do futebol alagoano!

Não é pouca coisa, a torcida do CRB tem que comemorar mesmo, analisemos aqui as disparidades de elencos, questões técnicas mesmo, disparidades de salariais, jogadores badalados do lado de lá, uma mídia muitas vezes tendenciosa, alguns membros desta imprensa com posições até fascistóides, como aquele que meteu o pau em nós nordestinos, vencer tudo isso, de fato é histórico, é extraordinário e a torcida tem que está orgulhosa do seu time, é para vestir o manto Regatiano e sair por aí tirando onda!

Mas o futebol é assim mesmo, aqui neste espaço, quantas vezes critiquei o goleiro Diogo Silva ou a zaga do CRB, mas parece que ontem estavam com a zigzira, passava nada, nem vento passava!

Sem dúvida que os louros da vitória é do Diogo Silva, pegou tudo na partida, nas cobranças dos tiros livres foi impecável e ainda converteu o seu, desmoralizando o goleiro do Palmeiras, goleiro de Seleção Brasileira!

Mas tivemos outras peças que reluziram muitíssimo bem, como é o caso do sempre importante Diego Torres, o argentino joga muita bola, não sei se ele fica até o final da Série B, tem time de olho nele, isso preocupa!

Bom destacar aquela dupla no meio campo, me agrada muito ver o Marthã e Jean Patrick, deram qualidade ao meio campo do Regatas.

Este feito do CRB, informa o pesquisador e historiador Walter Luís, é o primeiro por aqui, vencer dois gigantes de forma seguida, Cruzeiro e Palmeiras, coloca o CRB em evidência, tem que saber aproveitar o momento, o tal marketing do clube tem que aparecer numa hora dessas!

De recursos financeiros esta nova diretoria não pode reclamar, mesmo dando aos jogadores a metade que terá direito como classificada a próxima fase da Coa do Brasil, cerca de 2 milhões e setecentos mil reais, tem grana para investir em um goleiro e um atacante, peças fundamentais para a sequência da Série B e da própria Copa do Brasil!

Por último, é impressão minha ou o CRB só tem um padrão de camisa? A número um para esta direção é peça de museu, infelizmente!

Banner
Por Nivaldo Mota

Vitória histórica do CRB sobre o Cruzeiro, mas é preciso manter a humildade!

 

 

 

 

 

 

 

Não tem como não falarmos aqui da vitória histórica do CRB sobre o Cruzeiro, no Mineirão, domingo passado, pelo placar de 4 x 3.

Jogo válido pela Série B, tem uma relevância muito grande para  o nosso futebol local, mostra que é possível ir mais longe na competição, embora calçando sempre às “sandálias da humildade”, sempre!

Uma competição de 38 rodadas, passamos por duas apenas, mostra que o perde e ganha será uma constante e quem manter o melhor equilíbrio pode aspirar algo mais. Sem querer ser repetitivo, cada jogo na Série B é uma decisão, pontos corridos é assim!

Alguns vão lembrar, com razão até, que o Cruzeiro passa pela maior crise de sua história, é verdade! Time

Mas tudo bem, mesmo assim não deixa de ser o grande Cruzeiro, campeão de Libertadores, Brasileiro, Copa do Brasil e Mineiro. Por isso tem que ser ressaltado como um feito espetacular, principalmente pelos quatro gols marcados, outro feito histórico, já apontado pelo pesquisador e historiador do futebol, Walter Luís!

Agora vem o Palmeiras pela Copa do Brasil, jogo difícil, o time verde de São Paulo é o favorito em passar de fase, já ganhou aqui por um a zero e tem todas as condições de avançar na competição. Claro, gostaria muito que o CRB avançasse, mais analisando as condições, com um goleiro como aquele  e uma zaga assim, tão vacilantes(espero que eu erre nas previsões), será difícil dobrar o segundo melhor time do Brasil na atualidade!

Mas futebol é dentro de campo, fora dele são meras especulações, vamos ver como se comporta o time Regatiano, tendo obrigação em vencer o time de Palestra Itália.

Para terminar, como a imprensa do eixo Rio-Minas-São Paulo, falam da derrota do Cruzeiro, não da vitória do CRB. Aliás, assistindo o jogo pela TV, a dupla que transmitia a partida pelo Premier, comentavam pela lógica do Cruzeiro, não do jogo como um todo!

Campanha continua: #umsócioumvoto, #camisabrancaéoficial

Banner
Por Nivaldo Mota

Para aonde caminha a administração Mário Marroquim no CRB?

Empresário Mário Marroquim

 

 

Para onde caminha a gestão de Mário Marroquim no Clube de Regatas Brasil? Esta tem sido a pergunta em qualquer conversa de Regatianos, preocupados com os destinos do Clube, que um dia teve um patrimônio de fazer inveja a muitos clubes no Brasil.

A grandeza do CRB não era somente ser um ganhador de títulos no futebol, era sobretudo estendido para outros esportes, como o Voleibol, com destaques até internacional. Era uma sede, um clube social em frente ao mar da Pajuçara, era um estádio de futebol, um lugar para treinar ali mesmo, um ginásio.

Era um clube náutico também, está lá, registrado em um dos nossos jornais matutinos, em 1976, nova direção eleita, tinha um diretor de esportes náuticos. O CRB era mais que um time de futebol, era um clube, que não foi administrado como deveria ter sido, aonde a paixão e o amadorismo sobressaiu-se mais que a racionalidade ao longo dos tempos.

Até azulino mandou no CRB, caso do ex-presidente da Federação Alagoana de Futebol, o Gustavo Feijó, mas ele não foi culpado disso, a nossa gênese em eleger em um circulo fechado sempre quem vai dirigir os destinos de milhões de torcedores.

Se a administração do empresário Mário Marroquim, não começar a fazer uma curva na direção do profissionalismo, da democratização do clube, será mais do mesmo, fundamental ter isso em mente, porque se não será engolida pelo turbilhão de cobranças por não ter um norte. Toda transição é difícil, mas é necessária para mudanças transformadoras dentro do clube.

Que o estatuto do clube, no que diz respeito ao processo eleitoral é atrasado, draconiano, sem espaços de decisões dos sócios. O que fizeram a alguns anos atrás foi a maior enrolada e que muita gente no CRB comeu gato por lebre sobre as mudanças dos estatutos, que não mudou no essencial, que era fazer do sócio um ator importante na hora da decisão de eleger uma diretoria.

O que fizeram foi entre os sócios eleger alguns poucos para compor um tal Conselho já composto de pessoas que na grande maioria não tem interesse mudar mais nada dentro do clube, a não ser garantir ales próprios o direito de escolher quem eles queiram. O movimento CRB ACIMA DE TODOS, vacilou feio em participar deste arrumadinho, falaram na época que o CRB caminhava para uma democracia, quanta enrolação!

Mas enfim, o Sr. Mário Marroquim vai querer mudar isso e propor e se empenhar para garantir que um sócio seja a ele garantido o voto universal dentro do clube? Claro, com ele adimplente, que ele tenha o direito de votar e ser votado? Se não der este passo a frente, a administração Marroquim não será diferente das demais!

Outra coisa, depois da venda de todo o patrimônio do clube ( é bom ressaltar que ele foi sendo dilapidado ao longo de décadas), o CRB montou um excelente Complexo de Treinamentos, como também adquiriu um Casarão em Jaraguá, aonde iniciou-se a construção de um ginásio esportivo.

Não sei como está hoje, dá última vez que estive neste Casarão, me pareceu muito abandonado, com uma sala e alguns troféus, fotos, e uma funcionária para se fazer o sócio torcedor.

É preciso resgatar todos os troféus ganhos pelo clube, qualquer clube que se preza nos dias atuais tem um museu contando suas histórias, que esta direção já alguns meses que assumiu os destinos do clube, pense nisso, historiadores e pesquisadores, devem ser convocados para se contar esta história belíssima do Clube de Regatas Brasil.

Por fim, revitalizar o Casarão, ele tem que ser ponto de encontro da torcida e dos sócios, construir nele um espaço social, não existe nada mais importante que se resgate a áurea de clube, não somente de um time de futebol.

Que as divisões de base sejam alimentadas com o que há de melhor, não somente para pegar o jogador numa vitrine (pode ser também), mas essencialmente dizer que  e com muito orgulho, craque se faz em casa, é só querer!

E por último mesmo,  a camisa número um do CRB é a branca com lista vermelha na altura do peito e com o escudo no meio, ponto final!

 

Banner
Por Nivaldo Mota

Com falha do goleiro, CRB perde para o Palmeiras

 

CRB perdeu um jogo em que ele podia ter empatado e se tivesse um time melhor, principalmente jogadores no ataque com mais qualidade, podia ter vencido o Palmeiras!

O Palmeiras, que é o grande favorito a passar de fase, tem um dos melhores elencos do país, último campeão da Libertadores e da própria Copa do Brasil.

O Palmeiras, hoje no Brasil, só tem um adversário melhor que ele, o Flamengo, aliás, somente os dois tem time bom e altura do já foi um dia o futebol brasileiro!

No jogo desta quinta, o Regatas perdeu porque o goleiro mais uma vez foi decisivo, numa falha imperdoável, não se rebate bola para dentro da área, sim para os lados. Não é de hoje que o CRB não tem um goleiro que passe confiança, nem para o time, muito menos para a sua fanática, fiel e grande torcida!

O Palmeiras, no primeiro tempo, principalmente na metade desta primeira etapa, dominou bem as ações, impôs o seu toque de bola, embora não tivesse tido grandes chances. Diogo Silva, apesar da falha no gol, fez uma importante defesa antes de levar o gol. Além desse lance, tivemos bolas na trave do CRB, em falha de marcação, Filipe Melo quase marca.

O CRB carecia de uma melhor saída de jogo, nem Claudinei e muito menos Carlos Jatobá, conseguiam sair jogando, a não ser em bolas atravessadas para o ataque através dos famosos chutões. Quando a bola chegou de forma mais trabalhada, o Galo de Campina das Alagoas arrancou um ataque fulminante, mas Érick conseguiu perder, pegou muito embaixo da bola, quando o correto era bater chapando, faz parte!

Na segunda etapa o CRB melhorou, principalmente com as entradas de Marthan e Jean Patrick, para as saídas de Claudinei e Carlos Jatobá. O passe melhorou, a saída de bola da defesa para o ataque ganhou qualidade e o Regatas meio que encurralou o Palmeiras em seu próprio campo, não dando a eles o contra-ataque tão desejado.

O jogo de ontem mostrou uma coisa, apesar das muitas deficiência do time Regatiano, principalmente no passe, de não ter um atacante de referência, o CRB mudou a postura e fez um jogo bom, tenho a leve impressão que o Alan Aal vem impondo seu modo de jogar e isso é importante para a sequência da competição!

Por último, gostei de ver a desenvoltura do garoto da base, Wellington, entrou na reta final da partida, mostrou personalidade, tem futuro o garoto!

Outra coisa, me desculpem a todos e todas, mas vou continuar a campanha, por duas coisas que eu acho importante e todas as vezes que falar do meu time de coração que é o CRB eu vou colocar.

1º CAMPANHA, UM SÓCIO UM VOTO! Não é possível mais aceitar que as eleições no CRB seja apenas um arrumadinho de conselheiros, não me representam!

2º CAMPANHA, USEM EM CASA A CAMISA NÚMERO UM DO CLUBE, que é a branca com a lista vermelha, respeitem o estatuto do clube, conheçam a história do clube!

 

Banner
Por Nivaldo Mota

Em Alagoas, a festa é vermelho, azul e branco!

Enfim termina o campeonato alagoano 2021, como no ano passado, vamos ficar devendo médias de renda e público de cada participante.

Como todo mundo sabe, medidas para conter a Covid-19, impôs esta situação, mas ainda sim tivemos o secretário de Turismo de Maceió, Ricardo Santa Rita, querendo público nas finais, insanidade total.

O CSA conseguiu o seu 40º título estadual, agora a diferença para o CRB aumentou para nove, que tem trinta e uma conquistas.

Vejamos a evolução dos campeões em Alagoas desde 1927, quando tivemos o primeiro campeonato, vamos lá:

Entre 1927 – 1937

CSA 5 títulos

CRB 3 títulos

1931/32 e 34 não houve campeonato.

Entre 1938-1948

CRB 3 títulos

CSA 3 títulos

Barroso 1 título

Santa Cruz 1 título

Alexandria 1 título

1943 não houve campeonato

Em 1948, o CSA tinha 8 campeonatos e o CRB 6 campeonatos

Entre 1949-1959

CSA 6 títulos

CRB 2 títulos

Ferroviário 2 títulos

ASA 1 título

Capelense 1 título

* O CSA consegue somar 14 campeonatos e CRB 8 campeonatos

Entre 1960-1970

CSA 6 títulos

CRB 4 títulos

Capelense 1 título

* CSA 20 vezes campeão e CRB 12 vezes levantando a taça.

Entre 1971-1981

CRB 6 títulos

CSA 5 títulos

* CSA 25 títulos e CRB 18 títulos

Entre 1982-1992

CSA 6 títulos

CRB 4 títulos

Capelense 1 título

Na soma dos dois maiores, neste período ficou assim, CSA 31 e CRB 22 títulos.

Entre 1993-2003

CSA 5 títulos

CRB 3 títulos

ASA 3 títulos

* CSA 36 campeonatos e CRB 25 campeonatos.

Entre 2004-2014

ASA 3 títulos

Coruripe 3 títulos

CRB 2 títulos

CSA 1 título

Corinthians 1 título

Murici 1 título

* Na soma, CSA com 37 campeonatos e CRB 27.

2015-2021

CRB 4 títulos

CSA 3 títulos

Na soma na disputa entre CSA x CRB, 40 a 31.

Banner
Por Nivaldo Mota

CSA conquista seu 40º título estadual

 

E o CSA voltou a ser campeão alagoano, conseguiu deu 40º título estadual, acabando com a chance do CRB ser Bicampeão, em mais um jogo sofrível, horroroso, os dois maiores detentores de títulos em Alagoas, se for com isso aí para a Série B, farão dupla na Série C de 2022.

O CRB buscava em contra-ataques surpreender o CSA, conseguiu uma vez com Hyuri, entrou livre pela direita, perdendo uma chance de ouro, com a bola batendo na trave.

Logo depois o CSA, com Bruno Motta fez o gol, depois de um escanteio cedido pelo CRB através do Frazan, que parecia nervoso, a bola estava em seu domínio e ele deu um bicão para a linha de fundo, chutou para onde estava olhando, lamentável!

Na primeira etapa, a tal estratégia do Roberto Fernandes, foi jogar o time para a defesa, eu vi mais o Diego Torres combatendo e dando carrinho na entrada da área do próprio CRB do que criando, isso não existe! Foi o que eu escrevi por aqui, os treinadores entram com medo de perder, prefere não levar gols do que botar o time para a frente para ganhar uma partida, incrível isso!

Como o CSA não tem nada com isso, administrou bem na primeira etapa, correu um certo perigo em outro lance de velocidade em um contra-ataque, com o Luydi que partiu numa arrancada espetacular e só foi parado na entrada da área com uma falta que Diego Torres cobrou levando perigo ao gol azulino.

Na segunda etapa, o CRB conseguiu em um dos seus lampejos o gol de empate, logo no início, em bela jogada pela esquerda, Romão cruzou na medida para Hyuri tocar de cabeça e empatar a partida.

Foi só, depois deste gol, o festival de horrores torturantes se estabeleceu em campo, com times sem inspirações, um monte de pernas de pau dos dois lados, com jogadores cheios de capas mas que não jogam nada, foi terrível assistir o jogo, a emoção só teríamos mesmo nas cobrança de tiros livres da marca penal, na cobrança de pênaltis mesmo, é assim que o povão fala!

Aí a supremacia azulina foi inconteste, os regatianos perderam duas vezes, os azulinos apenas uma vez e fechou as cobranças em 4 x 3, tornando-se campeão com méritos.

A partir de amanhã, estarei atualizando todos estaduais já terminados, com o ranking dos campeões. Alagoas será o primeiro, nesta caso vou fazer um balanço da competição, grande abraço a todos e todas!

 

Banner
Por Nivaldo Mota

CRB e CSA na hora da verdade!

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje é a grande decisão do campeonato alagoano, mais uma vez com CRB X CSA na finalíssima. Se vamos ter pelo menos um bom jogo, nem os deuses do futebol saberão, até porque os dois vem jogando nada, futebolzinho medíocre, vivem de lampejos no jogo!

Na primeira partida não jogaram nada, uma chance clara perdida pelo argentino Diego Torres, meia do CRB, somente isso num clássico, é muita pobreza.

Foi um jogo igual, cada tempo um time foi mais eficiente, mas a rigor tivemos um jogo de intermediária, simplesmente os jogadores atuais não gostam de chutar da entrada da área. O jogador, limpa o lance, clareia, mas como não sabe bater na bola, prefere passar, chega a ser enfadonho, de dar sono!

Mas espero que eu esteja errado em minhas previsões e de repente os dois treinadores coloquem seus times para atacar o adversário e que os jogadores dos dois lados entrem em campo com mais raça, respeitando e honrando as camisas históricas de CRB e CSA.

Nas últimas decisões  foi a tônica do nosso futebol ver uma  final entre os dois maiores detentores de títulos, virou até uma rotina chata, mesmo antes do campeonato começar todos já apontavam os dois para a grande final.

O CSA pode chegar aos quarenta títulos, ampliando a vantagem sobre o CRB, que tem trinta um títulos e busca encurtar ainda mais esta diferença para o maior rival. Se nos confrontos dos títulos o CSA ganhou mais, no confronto direto entre eles o CRB tem mais vitórias, inclusive quando decidem títulos o CRB leva vantagem também.

Enfim, clássico para se ver em frente a TV, no sofá de casa, no campeonato das letrinhas, surgirá hoje um novo campeão, façam suas apostas!

Compartilhar

Banner
Por Nivaldo Mota

CRB empata com Salgueiro, com golaços e jogo de primeira!

 

CRB e Salgueiro fizeram um jogaço ontem no Sertão Pernambucano, muito movimentado, com os dois sempre buscando o gol, quando saíram os gols, foram dois golaços, dignos da partida.

O Regatas praticamente encaminhou a sua classificação, mas não está garantida ainda, mesmo com a derrota do Treze para o Vitória ontem a noite em Salvador, ainda temos hoje Botafogo/PB X Confiança, um empate e o CRB estará virtualmente classificado.

Virtualmente porque temos um jogo na quarta, entre ABC X 4 de Julho, caso o time de Piripiri vença, ele ainda em tese pode tirar a vaga do CRB, caso o time mais querido das Alagoas, perca para o Altos na última rodada.

Mas para quem vem jogando certinho, bem entrosado, o CRB tem tudo para vencer o time piauiense e por tabela ajudar o CSA, que tem que vencer o Sampaio Correia em São Luís do Maranhão na última rodada, a Bolívia querida briga por vaga, vamos ter muitas emoções no próximo sábado!

Voltando ao jogão de ontem, vou dizer uma coisa, sem ufanismo de minha parte, que jogo arretado de se ver, com o Galo das Praias dominando a partida, principalmente do segundo tempo, Diego Torres foi o craque do jogo, pelo menos para este aprendiz de futebol.

Escolheram o goleiro do CRB como melhor em campo, apenas por defesa, espetacular defesa, mas Diogo Silva falhou no gol de Ciel, aquele gol que Pelé não fez na Copa do Mundo de 1970, o atacante de 39 anos, um menino em campo, fez ontem no Sertão nordestino.

O gol do CRB já tinha sido um pintura com um golaço de Ewandro, pegou de prima na meia lua, o goleiro Lucas do Salgueiro só ouviu o zunido da bola pegando na rede. O goleiro do Salgueiro podia ter sido escolhido como melhor em campo, fez grandes defesas, uma do Diego Silva foi fantástica, fora gols que Yuri perdeu ( de novo?), Luydi, Lucão…

Mas futebol é assim mesmo, era para o Regatas ter voltado já classificado e líder do grupo, mas futebol tem destas coisas, embora o empate não seja de todo ruim, mas a vitória esteve nas mãos e escorreu pelos dedos, mãos e braços por conta da má colocação do goleiro do Regatas!

 

 

Banner
Por Nivaldo Mota

EM TEMPOS DIFÍCEIS, COM PANDEMIA E TUDO, MAIS UM CLÁSSICO DAS MULTIDÕES!

 

 

 

 

 

 

E hoje tem clássico das multidões, mais um para a história de CSA e CRB, mais sem o brilho de outrora, penso que o futebol no Brasil devia dar uma parada de conjunto, uns 15 dias no mínimo, até baixar este genocídio por conta da Covid baixar para números aceitáveis diante da pandemia que assola esta país.

Não é de esquecer, jamais esqueceremos, como o presidente genocida deste país jogou a favor dos números de mortos na atualidade, quando tirou onda com as famílias dos mortos e enfermos por conta de uma doença terrível, quando ele foi as ruas sem máscaras dizer que era isso e coisa tal!

O futebol não é uma bolha, não está desassociada do contexto em que vivemos, não compreendo um estádio vazio, um jogo de futebol tem que ter a magia da torcida, do povo, da explosão naquele momento do gol, a alegria coletiva, aonde as diferenças sociais em alguns segundos se acabam, que o racismo desaparece, só o futebol com público pode propiciar, sem ele, vira aquela pelada de bacana sem público!

Como é padrão entre todos os comentaristas o “Clássico das Multidões” não tem favoritismo, eu que já vi tantas coisas neste clássico, comungo com a tese, não dá para apontar favorito, sempre o que estar por baixo ganha, embora hoje, nos dias atuais, os dois se equivalem em tudo.

Um ponto de diferente no clássico é que o CRB manteve uma base, mas esta base está cansada, o elenco do Regatas não fez pré-temporada, emendou da Série B para o alagoano e Copa do Brasil.

Não me venham os azulinos dizer que eu puxo para o lado do CRB, não é isso, mas estas duas histórias rapidinho, exemplifica o que é o clássico CSA X CRB. As duas passaram comigo, eu pequeno, ali por volta de 1976, morando em Arapiraca, teve um amistoso entre CSA e CRB, o time azulino vinha de um Bi-Campeonato, tinha um timaço, eu e meu amigo “Zé de D. Genaura” , não havíamos ouvido o jogo, tinha sido uma quarta a noite, ele azulino e eu Regatiano, ficamos naquela, quem ganhou?

Cada um querendo que o seu time tivesse ganho o jogo, mas mantendo aquela falsa humildade, apostamos, cada um, no adversário, por ser uma aposta tinha que ser algo, sim, um caldo de cana com pão doce no seu “Seu Adalto”, pai dos nossos amigos Adalto, Marcelo e Serginho, melhor caldo verde não existia em Arapiraca e região, até Alceu Valença provou, eu vi, estava na hora!

Pois bem, meu pai, “Seu Nivaldo”, assinava o Jornal de Alagoas, ficamos a esperar o matutino na porta da minha casa, na rua Monsenhor Macedo, em frente a Igreja Presbiteriana, aonde se jogava bola com a turma de meninos da rua. Pimba, aponta o cara do jornal, quando olhei, perdi a aposta, o CRB ganhou o jogo por 2 X 0  e todo feliz a tarde fui pagar o caldo de cana para o meu amigo Zé, mas com muito gosto!

O outro jogo tem a ver com aquele histórico 3 x 2 da estreia do Joãozinho Paulista, em clássicos, é bom frisar. Sim, o CSA corria o ano de 1976, ganhara o 1º turno com sobras, ia com tudo para mais um tricampeonato alagoano. Mas eis que surge no caminho uma pedra, mais que isso, o maior artilheiro da história do nosso futebol, Joãozinho Paulista para marcar três gols numa final de turno e o CRB, antes acabado ressurge como uma Fênix e vai ser o grande campeão daquele ano.

São histórias fantásticas do sempre empolgante CSA X CRB, mexe com as nossas emoções, os dois lados, pode não ganhar nada, mas ganhar o clássico é garantir a gozação (sadia) para cima do rival até o próximo jogo, não tem jeito!

Sim, para não dizer que não lembro nada em favor do CSA, aquele gol do Alexandro, fazendo o gol que desclassificou o CRB do campeonato de 2006, depois de uma virada histórica, com gol do Bebeto, quem ali vislumbrava um novo empate, uma nova virada? Estava no estádio, com os dois filhos, um Regatiano e o outro azulino, na velha e boa antiga Geral, parecia uma bandeira de Alagoas, vermelho, branco e azul, foi demais!

Meu amigo Paulo Marinho, o cara do Surf, saiu com os olhos lacrimejando, como perder uma classificação assim, é o clássico, hoje teremos mais um, sem o brilho das torcidas a colorir aquele trapichão, tão remodelado que acabou ficando feio, mas vamos ver o que teremos mais tarde, façam suas apostas!

Banner
Por Nivaldo Mota

FUTEBOL BRASILEIRO E SUA ETERNA BAGUNÇA!

Nem bem acabou o campeonato brasileiro, antes mesmo de terminar a Copa do Brasil ou mesmo antes de terminar alguns estaduais, o de Goiás terminou sábado com a conquista do Atlético do bom treinador ( gosta de uma retranca, mas têm seus méritos) Marcelo Cabo, no domingo já se iniciou o campeonato de 2021.

Quer dizer, sem o mínimo de pré-temporada, os clubes ainda contabilizando às dívidas, rescisões contratuais, quem permanece, quem e quais jogadores a serem contratados, treinadores, etc., já começamos outro ou outros campeonatos sem dar tempo em respirar.
Quando se tem estrutura, como o Flamengo, por exemplo, deu férias ao seu plantel e a partir desta terça-feira dia 02 de março jogará o estadual, pelo menos no início da competição com um time praticamente da casa e contando com outros reforços que não vinham tendo oportunidades no time de cima.

Mas hoje isso é caso quase raro, a maioria dos clubes no Brasil é somente improviso, as imperfeições continuam a todo vapor. Os nossos clubes ainda não perceberam as armadilhas que eles mesmo fazem, uma delas é a própria existência das federações ou da própria CBF em organizar as competições.

Por exemplo, quem faz um campeonato são os clubes, os lucros deste ou daquele campeonato são provenientes da força do clube, das torcidas que proporcionam tais rendas e consequentemente os lucros.

Mas porque será que os clubes, sabedores de tudo isso não criam suas próprias ligas, estaduais e nacionais, organizam suas competições, o fechamento de pacotes de transmissão da TV seria muito maior, porque não teria intermediários como a CBF ou federações estaduais.
Mas os clubes preferem perder grana, se dizem profissionais, mas continuam amadores e emotivos demais, nada de que um pouco de racionalidade não possa mudar tal realidade nefasta.
Quando olharmos para dentro de nós mesmo e ao gostarmos tanto de futebol, percebemos que tudo não passa de santa obviedade, o problema é que o futebol é encantador, pelo menos já foi muito mais, vicia como qualquer coisa na vida e aí não desgrudamos.
Quem tem a minha faixa etária, acima dos 55, pergunte a qualquer um de nós amantes do futebol, mesmo com tantos jogos pela TV, como era bom ouvir e imaginar as jogadas pelas ondas do rádio, era ou não era sonhar como se estivesse a beira do gramado, como dizia aquele velho jargão do futebol.

Mas o problema é que antigamente, a vida toda, sempre fomos péssimos em organizar as competições, com calendários determinados, aquela coisa certinha, nunca fomos de fato organizados, muito por conta da tal emotividades motivadas pelas paixões clubistas de cada envolvido nas competições.

Mas tinha uma coisa que a gente se gabava, podemos ser desorganizados das quatro linhas pra fora, porque dentro de campo não tem para ninguém. Hoje eu acho que bagunçamos em tudo, difícil encontrar um craque, temos bons jogadores, sem ser saudosista e já sendo ao mesmo tempo, muitos que hoje são considerados craques não passariam de bons reservas para os times que eu vi jogar, erra é a realidade.
Mas temos esperança que tudo possa mudar, inclusive com do deus mercado, como um totem, adorados por muitos, não merece um vintém, mas em todo caso é bom pensarmos em sua derrubada para a felicidade geral da nação do futebol dos pés descalços!

Banner
Por Nivaldo Mota

QUEM SOBE?

Termina nesta sexta a Série B de 2020, três times brigam pela glória de subir para a série A. Juventude, CSA e Avaí, estão na disputa, sem previsão de apontar algum favoritismo.

Se pensarmos apenas entre Juventude e CSA, que pegam respectivamente Guarani e Náutico, pior ainda, embora o time alagoano pegue um Náutico mais relaxado com o dever cumprido em ficar na Série B na penúltima rodada.

Dos três que disputam a vaga para a Série A, tarefa mais complicada será a do Avaí, terá que vencer seu jogo contra o América/MG, lá no Independência e torcer por derrotas do Juventude e CSA, tarefa difícil!

Mas entre os dois principais candidatos a subir, Juventude e CSA, está tudo muito em aberto, embora diga e repita, minha previsão é que o CSA pegará um jogo mais tranquilo contra o Náutico. O jogo do Juventude contra o Guarani será mais pegado, por isso a chance do CSA em subir cresce, é minha opinião.

Banner
Por Redação

CRB e suas agonias de sempre!

O que acontece com o CRB nas competições nacionais, principalmente na Série B, tem a ver com o conformismo da maioria da sua torcida, que sempre zombou da torcida azulina porque nem série tinha e está na Série B era o limite.

Tem responsabilidade dos dirigentes, não é de hoje esse comportamento provinciano, pequeno, mas já teve época piores é verdade, nem alagoano ganhava e a torcida conformada, sempre iludida com os falsos discursos de mudanças para o ano seguinte e tudo continuava do mesmo jeito.

Então, não me surpreendo mais, quando vejo tanta desarrumação desde o princípio de um planejamento, para disputas de várias competições, como Copa do Nordeste, Copa do Brasil, Alagoano e Série B.

Alguém ainda lembra como foram às campanhas do Regatas nestas competições? Talvez explique porque o CRB esteja tão mal na Série B. Não quero falar do jogo de ontem, o time até surpreendeu bem, não merecia perder, encontrou forças para reagir, mas não segurou um empate que viria com sabor de vitória diante das circunstâncias do jogo.

Pois bem, o CRB foi péssimo na Copa do Nordeste, conseguiu ir longe na Copa do Brasil porque teve a sorte de pegar um Cruzeiro em crise, mas quando pegou um time mais ou menos arrumado perdeu, caso do Juventude de Caxias do Sul.

No alagoano eu não vou considerar como parâmetro, o nível a cada ano é o pior possível e este por conta da pandemia da Covid-19 foi algo terrível. Mas os torcedores Regatianos lembram-se como foi sufoco passar pelo ASA, remontado em cima da hora, nos pênaltis, depois de um zero a zero terrível.

Por isso não me surpreende estar assim na Série B, os empresários do futebol fazem a festa trazendo as “bombas” para cá, a coisa está tão a deriva que o CRB deve ter contratado este ano mais ou menos uns setenta ou mais jogadores, isso não existe, como algo sério não!

Como diabos o CRB pode querer lutar para um acesso a Série A se nem base temos, a quem pertence estes meninos da Base? Eles subirão um dia para o profissional? Pouco provável, com a lógica atual, é disso para pior! Pois vou dizer uma coisa, sem esta mesclagem, o CRB não irá nunca muito longe em competições nacionais.

Quando o seu maior rival, o CSA, só jogava três meses no ano, as ilusões Regatianas eram maiores, até para escapar de um possível rebaixamento virava um título, só faltava volta olímpica com troféu e tudo mais!

Mas a partir do momento que o CSA deu aquela arrancada histórica e espetacular, subindo da Série D para a Série A de forma sequencial, com um título nacional e dois vices campeonatos, creio que muitos torcedores Regatianos acordaram para Jesus e às exigências aumentaram, mas ainda não foram capazes de mexer com a direção do clube que continua batendo cabeças sem saber o que fazer!

Agora é lutar para não cair, imagine o CRB caindo e o CSA subindo, veja a agonia do torcedor Regatiano, o verdadeiro dono do clube, que sente, que chora, discute nas ruas e praças, botequins e afins.

Creio que para gerir um clube grande, de torcida enorme, como é o CRB, um modelo mais profissional, coletivo, discutido sem arroubos juvenis e emocionais, cairia como uma luva no sentido de repaginar o clube e dar a volta por cima em 2021!

Banner
Por Nivaldo Mota

CSA LUTANDO PARA SUBIR, CRB PATINANANDO NA SÉRIE B!

Enquanto o CSA faz uma campanha para subir novamente para a Série A, o seu eterno rival CRB despenca na tabela, sem mostrar pelo menos o mínimo dentro de campo, vontade de querer vencer uma partida!

Sem dúvida, muitos torcedores do time, a despeito da campanha que o Regatas vem fazendo na série B e assistindo os jogos dos dois, dá a impressão que os jogadores do CSA além de estarem mais entrosados existem outra coisa, coletividade entre eles, mais companheirismos, talvez seja essa a diferença entre os dois.

Creio que existam mais coisas no ar, no entanto a forma de se administrar os dois maiores clubes de Alagoas é a mesma, sem democracia, sem Conselhos atuantes, são extremamente concentradoras, quase ditatoriais.

Fora de campo pode estar mais nocivo para o Regatas, à relação direção/empresário(os), nunca foram claras, a julgar pelas contratações do lado do CRB, sempre foram as piores. A primeira vista esta é a principal diferença entre os dois clubes. O torcedor não vota, não elege a sua direção, os presidentes acumulam super poderes, isso tudo no extra campo os dois times são iguais.

A vantagem momentânea do CSA na competição foi que a sua direção contratou melhor e o time azulino encaixou melhor, a mudança do treinador foi fundamental para isso, de fato o time do CSA vem jogando melhor, muito certinho em campo!

Já do lado Regatiano as coisas continuam na mesma, ganha uma partida e perde duas em seguida, não tem uma sequencia boa que possa passar confiança ao seu torcedor, que está incomodado com a possibilidade do CSA subir de novo para a Série A.

Para o torcedor do CRB que vem sofrendo na Série B, o que assombra de fato é ver o adversário subir de divisão novamente em pouco mais de um ano e ver o seu próprio time patinar na Série B, pior ainda vê sua direção ser leniente, ausente o tempo inteiro. O CRB, se continuar a jogar assim, corre um risco de rebaixamento, mínimo, mas corre risco sim, não descerá não por obra graça somente dele, mas dos outros times que disputam a competição, porque são umas lástimas, mas todo risco assumido é pouco!

Na próxima terça tem o clássico das multidões, mais um clássico na história entre os dois maiores, apontar um favorito sempre é difícil, embora o CSA esteja melhor, mas é um jogo de resultado de difícil prognóstico.

Agora se o CRB vencer, não venha com a tese que o time é bom, uma beleza, não é o time é fraco, sem espirito vencedor, ganhar empatar ou perder para este elenco tanto faz!

Banner
Por Nivaldo Mota

FUTEBOL VIROU UM NEGÓCIO DE POUCOS!

O futebol anda muito chato nos dias atuais, mundialmente falando, com raríssimas exceções, pouco de futebol verdadeiro é visto por aí.

Os jogadores são robotizados, desde cedo nas “escolinhas” o garoto aprende uma série de coisas, menos jogar bola. O futebol brasileiro sempre teve a ginga, molejo e o drible, tudo aprendido nas ruas esburacadas, com bola de meia, com laranja, limão e quando em vez uma bola “dente de leite”, lembra-se dela?

Hoje em dia as tais escolinhas incorporou a classe média, influenciadas pelo modismo televisivo dos grandes craques, a rigor esta mesma classe média fez do futebol uma possibilidade de seu rebento se tornar um craque milionário, mas a porta é estreite e nem todos chegam lá!

Mas aquele futebol moleque da rua, aonde os melhores da rua tentava uma peneira nos grandes clubes, isso acabou faz tempo, hoje virou um mercado, jogadores e treinadores só arrumam emprego se tiver um empresário forte que possa sair vendendo ou emprestando para os clubes ou apenas time de futebol.

Isso cria uma ciranda financeira e humana interessante, muitos dirigentes de clube, treinadores e obviamente o empresário da vez, ganham rios de dinheiro com os jogadores da atualidade, mas não precisa ser mais um craque, basta chutar uma bola que ele já vai para o mercado ser exposto numa prateleira.

Este posicionamento atual veio no embalo do neoliberalismo da década de 1990, a famosa Lei Pelé e outras mazelas determinaram esta lógica que vem matando o futebol não somente brasileiro, mas do mundo periférico como um todo.

O seguidismo de nossos dirigentes a tão propalada organização europeia, fez e vem fazendo do nosso futebol algo apenas para venda e exportação de jogadores, nada mais que isso! Mesmo o Flamengo, que tem vários craques nas suas divisões de base, quando sobe para o time de profissionais o cara nem esquenta o banco, é logo vendido por milhões de dólares, mas os clubes a rigor continuam em crise financeira.

Eu não sei qual a mágica, os nossos dirigentes tem a incrível capacidade de diminuir as receitas dos clubes ou dos seus times. Sim, o torcedor não percebeu, na maioria das vezes não temos direção coletiva, mas sim donos dos clubes, vide o caso em Alagoas com CSA e CRB.

Banner
Por Nivaldo Mota
Banner
Por Redação